Flagrante: condutores sem equipamentos de segurança trafegam livremente pela BR

0

Homen conduz o ciclomotor com três passageiros (Fotos: Portal Infonet) 
Três passageiros, entre eles duas crianças, em cima de uma moto. O flagrante feito pela equipe do Portal Infonet ás 11h da manhã desta quarta-feira, 8, mostra um homem conduzindo uma mulher e mais duas crianças menores de cinco anos sem nenhum equipamento de segurança em um ciclomotor.

O perigo e o desrespeito as leis não intimidaram o condutor que passou pelo Posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e seguiu nas proximidades do Km 49 na BR 235, no município de Itabaiana.

No mesmo trecho a equipe encontrou outro condutor que pilotava um ciclomotor sem equipamentos de segurança.

De acordo com o chefe do Núcleo de Comunicação Social da Polícia Rodoviária Federal em Sergipe (PRF), inspetor Flávio Vasconcelos, em virtude da falta de registros dos ciclomotores a PRF não

Condutor ignora o perigo e conduz duas crianças
consegue autuar os condutores. Segundo o inspetor existe uma questão cultural sobre o uso dos equipamentos de segurança.

Flávio Vasconcelos ressalta que a sociedade não tem conhecimento da lei que obriga o uso de equipamentos de segurança, autorização para condução de ciclomotor (ACC) e dos perigos que é circular por uma BR sem orientar essas normas. “Se for cumprir a risca a lei todos os ciclomotores ficarão retidos. É preciso a reeducação e conscientização por parte dos condutores. As motonetas não são registradas, por isso a PRF não tem como autuar”, observa o inspetor, que salienta medidas.

“Os municípios têm que regularizarem os ciclomotores. Em Aracaju já existe algo tramitando a respeito, mas todos os municípios têm que regularizar”, diz.

Sem equipamentos de segurança na BR
Em janeiro deste ano o Portal Infonet veiculou uma matéria especial sobre a lei dos ciclomotores. Sancionada pelo prefeito Edvaldo Nogueira no dia 29 de dezembro do ano passado, a Lei Municipal 3.811, de autoria do vereador Emanuel Nascimento (PT), torna obrigatórios o registro e licenciamento de ciclomotores. A proposta, segundo o vereador, é de, principalmente, promover maior segurança aos condutores.

“Além do grande índice de acidentes, o número de roubos dessas motos também é grande. Com o emplacamento, além de se exigir habilitação, será mais fácil organizar o trânsito. Até as carroças já estão regulamentadas na capital”, disse Emanuel.  

Segurança

O chefe do Núcleo de Comunicação Social da PRF lembra ainda que é recomendado o uso do capacete, farol ligado e habilitação para conduzir os ciclomotores.

Flávio Vasconcelos salienta que o fato dos ciclomotores serem frágeis requer uma condução apropriada e não deve ser conduzido por menores de idade. “Os pais não podem dá esses ciclomotores aos filhos porque é um perigo”, alerta.

Por Kátia Susanna

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais