Frente de Mobilidade promove ato e faz balanço de sessão

0
Manifestantes se reuniram na praça Fausto Cardoso (Foto: Portal Infonet)

Dando prosseguimento às suas ações, a Frente de Defesa da Mobilidade e Transporte Público se reuniu na tarde desta quinta-feira, 14, para discutir estratégias para o a redução da tarifa de ônibus para R$ 1,82. O encontro aconteceu na praça Fausto Cardoso, e os participantes fizeram um balanço da sessão especial ocorrida no último dia 11, que contou com a participação de representante do Movimento Não Pago.

Flávio Marcel, coordenador de comunicação do movimento, afirma que o postura e as reivindicações do movimento foram recebidas com atenção pelos vereadores. “Com dados concretos, nós provamos uma série de irregularidades nas planilhas das empresas de ônibus. Quando trouxemos isso à tona na Câmara, os vereadores se mostraram supostamente preocupados”, diz.

O coordenador enumera alguns dos desvios apontados pela Frente de Mobilidade na tribuna. “As empresas alegam que existe uma média de 2,6 motoristas e cobradores por cada ônibus, e contabilizam o pagamento desses funcionários. Mas não consideram que os microônibus, por exemplo, não tem cobrador. Ainda assim, esse valor é colocado nas planilhas, mesmo com esses ‘cobradores virtuais’”, diz.

“Outra questão é relativa aos pneus utilizados nos ônibus. Entramos em contato com a fornecedora, e eles disseram que as empresas utilizam um pneu 26% mais caro do que o que existe de mais caro no mercado. Isso tudo onera a tarifa, e traz os resultados para o usuário”, completa.

Ainda segundo o coordenador, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) não só reconheceu as irregularidades apresentadas como reforçou o quadro colocado por Demétrio Varjão, representante do Movimento Não Pago. Conforme pronunciado ao Portal Infonet no dia 11, o superintendente da SMTT, Nelson Felipe, afirmou que a intenção do órgão é de facilitar o dia-a-dia da população. “Eu sei das dificuldades. É um desafio para nós melhorar o sistema de ônibus. Não existe nenhuma decisão, nenhuma vontade nossa de prejudicar quem quer que seja. Queremos o beneficiar a população com transporte público de qualidade”, garantiu.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais