Funcionários do Embrapa paralisam por 24 horas

0

Sede da Embrapa em Aracaju
Os funcionários da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) estão em paralisação nacional no dia de hoje, 5. A principal reivindicação da categoria é o reajuste de 12% no salário base e condições de trabalho exigidas, como um maior orçamento para pesquisas. A data-base para reajuste salarial da categoria é 1º de maio, mas o Governo Federal ainda não sinalizou com o reajuste.

“A paralisação é uma forma de pressionar a diretoria da Embrapa e o governo para evolução das negociações”, diz Elias Ribeiro, diretor de tecnologia do Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário (Sinpaf). “O governo sempre fala da importância da Embrapa nacionalmente e nós queremos que isso se traduza em benefício dos seus funcionários, condições de trabalho e salários dignos”, fala Elias.

Os pesquisadores da Embrapa em Sergipe são responsáveis pelo desenvolvimento e adaptação de tecnologias sustentáveis nos tabuleiros costeiros do País. Essa sub-região abrange do Estado do Rio de Janeiro até a divisa do Ceará com o Piauí. As pesquisas abrangem os recursos naturais, as culturas, como coco, citrus, e os estudos em biocombustíveis.

A greve não é descartada pela categoria como última forma de pressão. “Agora é só uma paralisação de advertência. Nós iremos acompanhar as negociações e reajustar nosso posicionamento de acordo com os resultados do diálogo estabelecido com o governo”, explica Elias Ribeiro.

Comentários