Justiça derruba três bares na Aruana

0

A família Carvalho acompanha a demolição
As lágrimas do proprietário do Bar do Nelson ao ver o seu estabelecimento comercial sendo demolido na manhã desta quinta-feira, 29, por conta de uma determinação da Justiça, motivaram o desespero e choro compulsivo de uma criança de apenas sete anos. Os proprietários de bares da Aruana foram notificados pela Advocacia Geral da União há um mês, em virtude do projeto urbanístico que vem sendo desenvolvido pela Prefeitura de Aracaju na área.

A família Carvalho comercializa e mora na Praia da Aruana há 16 anos e ficaram desolados ao perceber o sonho de uma vida sendo destruído. “Não sei o que vou fazer da minha vida, estou aqui há 16 anos e acho uma injustiça que venham aqui e destruam o nosso ganha pão.  Agora como vou fazer para sustentar os meus filhos? Quem vai poder nos ajudar nesse momento?

Em 50 minutos foi destruido o sonho de uma vida
Ninguém se importou com a gente, cadê a prefeitura que não está aqui para nos amparar?”, questiona José Nelson de Carvalho, proprietário do Bar do Nelson.

O estabelecimento foi o primeiro a ser demolido e durou exatos 50 minutos de agonia para a família do comerciante que acompanhava tudo perplexo com a ação.  Com o filho de apenas um ano e dois meses nos braços e outro de sete anos que chorava o tempo todo, a comerciante Rosilene de Carvalho, lamenta o destino da família.

“Temos muitas dívidas e não temos dinheiro para recomeçar nada, agora vamos esperar destruírem tudo e vamos montar uma barraca para morar com nossos filhos embaixo do coqueiro que ficou de pé”, desabafa Rosilene.

Nelson chora e se desepera ao presenciar a demolição
Bar do Surfista

O proprietário do segundo estabelecimento que foi demolido fez duras críticas sobre a ação da Justiça e disse que os donos de bares foram desamparados pela prefeitura. “Nós assinamos um acordo para que a gente destruísse os bares e a prefeitura garantiu que os novos bares que já estão sendo construídos seriam entregues para a gente. Mas ainda confio que o Governo faça alguma coisa pela gente que olhe por nós e não deixe que famílias inteiras fiquem sem o sustento”, critica Carlos Gonçalves de Oliveira, proprietário do Bar do Surfista.

Há 20 anos comercializando na praia, Carlos afirma que já passou por três demolições. “Já destruíram o bar do Paulista há dois anos atrás e depois a um ano destruíram o meu outro bar chamado de França, agora estão destruindo o Surfista. Nós somos micro empresários são 12

O filho de sete anos entra em desespero
pessoas que trabalhavam em meu bar e agora ficam sem ter para onde ir”, afirma.

Bar do Joca

Há poucos metros do Bar do Surfista, outro proprietário vive momentos de incerteza sem saber o destino que irá tomar o seu bar. “Ontem [27] orei para Deus e pedi para ele me conceder um sinal, e ele me deu e consegui uma liminar para que meu bar não fosse derrubado”, conta Josiel dos Santos, proprietário do Bar do Joca.

O advogado da União, Ricardo Seixas, conversou com Josiel e aconselhou o proprietário a retirar todos os pertences do bar. “Nossos advogados já estão entrando com um pedido para cassar a liminar e isso pode acontecer a qualquer momento,

O bar do Surfista foi o segundo a ser derrubado
entendo a situação do senhor, mas não vamos poder esperar mais”, disse em conversa com o proprietário.

“Ainda tenho fé que possam fazer alguma coisa porque são quase trinta anos trabalhando aqui e agora dizem para a gente que não podemos ficar. Minha vida foi toda aqui, não tenho aonde morar, a prefeitura nem vem aqui dizer nada”, lamenta.

Licitação

Em entrevista ao Portal Infonet na última quinta-feira, 29, a assessoria de Comunicação da Prefeitura de Aracaju, disse que a Prefeitura interveio para que as pessoas que perderam os estabelecimentos pudessem ser contempladas com os quiosques, contanto que estivessem dentro das adequações ambientais. Mas a Procuradoria Geral da União deu um parecer de que será preciso passar antes por um processo

O advogado da AGU conversa com proprietário que conseguiu liminar / Fotos: Portal Infonet 
licitatório, ou seja, deverá haver uma convocação pública e licitação para novos proprietários.

Bares da Rodovia dos Náufragos

A procuradora da República, Eunice Dantas, afirmou que no próximo dia 5 de maio, será realizada uma audiência pública na sede da Justiça Federal a partir das 14h com a finalidade de discutir a situação dos donos de bares da Rodovia dos Náufragos, conhecido como Rodovia José Sarney. “Vamos discutir com os donos de bares para saber como será feita a regularização”, disse a procuradora.

Por Kátia Susanna



Confira galeria com fotos:

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais