Médicos municipais paralisam as atividades

0

Os médicos da capital paralisam as atividades por 24h no dia de hoje, 1º de junho. Com a iniciativa, os postos de saúde não terão atendimento pela classe, mas a secretária de Saúde do Município, Leda Lúcia Couto de Vasconcelos, garantiu que as unidades estarão abertas e terão atendimento dos enfermeiros e técnicos de enfermagem.

Os médicos alegam más condições de trabalho nos postos e nos serviços de urgência. Eles reclamam do percentual de aumento dado pelo prefeito, 4,23%, e do não pagamento do Aracaju Previdência.

A categoria solicita o aumento do número de plantonistas nos hospitais das zonas Norte e Sul e o reajuste salarial de 21%, além de isonomia salarial para os especialistas e pagamento para os emergencistas, equivalente aos plantonistas de emergências, do Hospital Governador João Alves Filho.

Pedem também o fim do teto salarial, para que sejam incorporadas as vantagens salariais e pagamento da gratificação das áreas de trabalhos especiais (área de risco), mais o desconto efetivo de contribuição da Previdência, com pagamento da licença-maternidade e auxílio doença integral.

De acordo com a secretária de Saúde, nas duas reuniões com a comissão de negociação do sindicato dos médicos houve alguns avanços. “Eles solicitaram a melhoria nas condições de trabalho. E toda administração séria tem que se preocupar com este ponto por isso formamos uma comissão para ver o diagnóstico e elaborar soluções para este problema”, explicou.

Quanto ao reajuste salarial, a secretária lembrou que o prefeito Edvaldo Nogueira, PCdoB, informou que a prefeitura municipal de Aracaju não tem condições de dar mais que 4,23% por estar no limite prudencial.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais