MP marca vistoria final de camarotes do Pré-Caju para dia 20

0

Reunião contou com a presença de vários órgãos e instituições
Em audiência realizada na manhã desta quarta-feira, 13, a promotora de Defesa do Consumidor, Euza Missano, marcou para a próxima quarta-feira, 20, a vistoria final dos camarotes oficiais e alternativos do Pré-Caju. A reunião, realizada todos os anos, teve por objetivo vislumbrar todas as questões de segurança que envolvem a festa e os clientes de abadás e camarotes.

Participaram representantes da Associação Sergipana de Blocos e Trios (ASBT), a Defesa Civil Municipal e Estadual, Polícia Militar, Polícia Civil, Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu), Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária Municipal e Estadual, Procon, SMTT e Adema.

Euza disse que camarotes sem autorização devem paralisar vendas

“Todo o Ministério Público, através das suas promotorias, está trabalhando desde dezembro para que tudo ocorra bem. Tudo está dentro do cronograma e a segurança da festa está garantida”, disse a promotora. Ela ressaltou, entretanto, a cautela que os foliões devem ter na hora de comprar blocos e camarotes. “Queremos advertir, principalmente, quanto à aquisição dos camarotes. É bom atentar se eles possuem autorização para funcionar”, aconselhou.

De acordo com Euza, os camarotes só podem vender ingressos após terem o funcionamento autorizado pela Empresa Municipal de Orbas e Urbanização (Emurb), Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea/SE).

Segundo Valdson, até agora apenas dois camarotes alternativos pediram
“Nossa preocupação é que eles sejam construídos após a autorização. Todos que estiverem vendendo ingressos e com a situação irregular deverão paralisar as vendas”, alerta.

O engenheiro civil Valdson Melo, da Emurb, confirmou que ainda há camarotes alternativos que não pediram autorização no órgão para serem montados. “Apenas dois pediram autorização até o momento: um já foi aprovado e outro protocolou o pedido”, conta.

Ele lembra, ainda, que o procedimento não indica que o lugar está apto para o funcionamento. “Apenas uma vistoria final pode liberar. Caso os erros que apareçam não sejam corrigidos, a gente pode pedir a interdição”, explicou.

Mendes afirmou que exigências são as mesmas para todos

Valdson avisou, ainda, que o órgão só aceitará pedidos para a instalação desses camarotes até esta sexta-feira, 15. Esta é a data limite que a Emurb possui para analisar a documentação e fiscalizar os espaços. Quem procurar o órgão após esse dia, não obterá a licença necessária. “Esse prazo não vai ser prorrogado”, enfatiza.

Esquema de segurança

Segundo o coordenador da Defesa Civil do Estado, Major Mendes, o órgão pretende exigir dos camarotes do mesmo jeito que se fez com a organização do Pré-Caju. O acréscimo para este ano foi o teste de limite de peso. Além disso, durante a fiscalização, a Defesa verificará a distância da rede elétrica para evitar acidentes. “Estaremos trabalhando antes e durante o evento para possíveis ocorrências”, salientou.

“A sensação de segurança será grande”, diz o coronel Iunes

O comandante do Policiamento da Capital, coronel Maurício Iunes, afirmou que o efetivo de policiais que trabalharão na festa recebeu um acréscimo de 300 homens em relação a 2009. “Haverá reforço também nos equipamentos. As pessoas querem o máximo de segurança e vamos cumprir isto”, disse.

Todo o policiamento periférico também foi esquematizado. O planejamento também contemplou as áreas de chegada e saída dos foliões.
Ainda segundo Iunes, será estabelecido um horário para início e término do policiamento para que não se sobrecarregue a carga horária dos oficiais. “A sensação de segurança será grande”, afirmou.

O coronel ainda recomendou que os foliões levem à festa apenas o que for necessário: “Apenas um documento de identidade e dinheiro suficiente para consumo e transporte. É bom evitar excessos, pois já chegamos a encontrar carteiras com título de eleitor e certidão de óbito”, lembra.

Por Diógenes de Souza e Carla Sousa

Comentários