“Musicalidade”, por Rubens Lisboa

0

L A N Ç A M E N T O 1

 

Cantora: Joanna

CD: “25 Anos – Entre Amigos”

Gravadora: Universal

 

Para comemorar 25 anos de uma carreira de altos e baixos, a cantora Joanna está lançando, via gravadora Universal, o CD “Entre Amigos”. Embora se trate, logicamente, de uma jogada de marketing para alavancar sua carreira e especialmente as vendas do produto, trata-se de um disco bem vindo: é que, no geral, ele soa alegre e ratifica que a bela voz da morena de olhos fundos continua em plena forma.

 

Cantora mais conhecida pelos arroubos românticos, Joanna mostra que sabe cantar samba (o que não é para qualquer um) e o faz muito bem. É o que se pode comprovar nas faixas “O Pequeno Burguês” e “Colher de Pau”, quando divide os vocais com Martinho da Vila e Zeca Pagodinho, respectivamente.

 

Embora seja ela uma das melhores intérpretes das músicas de Roberto Carlos, aqui derrapa feio na releitura feita para “Do Fundo do Meu Coração”. Em compensação, há momentos muito bons como quando canta com Emílio Santiago (em “Nunca Sofri Por Amor”), Maria Bethânia (em “Maninha”) e Eduardo Dussek (em “Aventura”). Há, ainda, dois duetos póstumos: um com Cazuza (em “Codinome Beija-Flor”), cujo resultado é legal, e o outro com Gonzaguinha (em “Quarto de Hotel”), que se mostra pífio, especialmente porque fica claro que o cantor enxergava sua canção de forma distinta à abraçada por Joanna.

 

Se for bem trabalhado, é um CD que deve vender bastante porque a cantora tem público fiel e há de se reconhecer que os convidados foram escolhidos a dedo. O maior mérito, todavia, fica por conta da escolha do repertório, que fugiu das obviedades comemorativas da data, preferindo centrar-se em canções menos conhecidas do repertório de Joanna (além de algumas inéditas em sua voz), deixando de lado os seus já tão batidos sucessos de carreira.

 

L A N Ç A M E N T O 2

 

Cantor: Pepeu Gomes

CD: “Ao Vivo – De Espírito em Paz”

Gravadora: Som Livre

 

Pepeu Gomes, tentando resgatar o sucesso vivido tempos atrás, está lançando CD e DVD com registro ao vivo de treze de suas canções, a maioria delas já bastante conhecidas, como é o caso da assumida “Masculino e Feminino” e da interessante “Sexy Yemanjá”.

 

Os arranjos são calcados na sua arrojada guitarra e a banda que o acompanha sabe disso, deixando, assim, que o instrumentista brilhe. Mas a mixagem termina por prejudicar a voz do cantor (que já não é das melhores), deixando-a, muitas vezes, mais baixa que o aconselhável.

 

Advindo do grupo Novos Baianos, que legou para a MPB nomes como Moraes Moreira, Paulinho Boca de Cantor e Baby Consuelo (hoje, Baby do Brasil), a música de Pepeu é alegre e dançante. As letras são geralmente para cima e fazem ode à alegria e ao prazer. Suas melodias são simples e possivelmente daí resulta a boa quantidade delas que se tornaram sucessos instantâneos quando de seus lançamentos na década de 80.

 

No recém-lançado trabalho (subintitulado curiosamente como “De Espírito em Paz”), há diversas participações especiais. Zélia Duncan faz o que sabe em “Alma” e Rogério Flausino (vocalista da banda Jota Quest) chega a empolgar na menor “Um Raio Laser”. Os demais, todavia, ficam a dever: Gilberto Gil (em “Meu Coração” e “Eu Também Quero Beijar”) comprova que precisa cuidar da voz que está cada dia mais rouca e Jorge Vercilo se mostra totalmente deslocado do seu universo musical em “Deusa do Amor”. Tem ainda as exóticas filhas de Pepeu e Baby, que atendem pelas alcunhas de Nana e Zabelê (ambas reminiscentes do grupo SNZ – a terceira, Shiva, já caiu fora), sofríveis em “Mil e Uma Noites de Amor”.

 

No entanto, no cômputo final, para quem não conhece a obra de Pepeu, trata-se de uma boa oportunidade de fazê-lo… 

 

N O V I D A D E S

 

·                     A excelente e premiadíssima cantora Ithamara Koorax lança no Japão o CD “The Art of Romance”, isso enquanto prepara o seu tão aguardado disco em tributo a Stelinha Egg, no qual interpretará diversas músicas de Dorival Caymmi. Vale a pena esperar porque vem mais uma obra prima por aí…

·                     O pernambucano Alceu Valença está com disco pronto para ser lançado até o fim do ano pela Indie Records. O CD se chamará “Na Embolada do Tempo” e entre canções inéditas, como a romântica “Depois do Amor”, há uma oportuna homenagem ao cronista Rubem Braga registrada na faixa “Ai de Ti, Copacabana”.

·                     Também ainda este ano estará nas lojas o novo CD de Geraldo Azevedo. Com o título de “O Brasil existe em Mim”, o disco vem com repertório primordialmente inédito, tendo como exceção apenas a faixa “Menino de Braçanã”, sucesso de Luiz Vieira. Há parceria com Paulinho Pedra Azul e uma homenagem ao grande Jackson do Pandeiro.

·                     E a mais famosa dupla de Sergipe formada por Chiko Queiroga & Antônio Rogério está a percorrer parte do Brasil, mais precisamente a região Centro-Oeste, junto com a caravana do Projeto Pixinguinha. Ao lado de Nélson Sargento, Áurea Martins e Arismar do Espírito Santo, nossos garotos estão mostrando a excelente música que fazem, assentada num mix de tradição e modernidade.

·                     Zélia Duncan, aumentando seu leque de parceiros, enviou duas letras suas para Lulu Santos que gostou de uma delas e terminou musicando a mesma, dando origem a um inusitado samba. Resta saber, agora, a quem caberá registrar tão ilustre parceria…

·                     A voz pequena mas doce e afinada de Rosa Passos homenageia o baiano João Gilberto no premiado CD intitulado “Amorosa”. Há standards da bossa nova, como “Chega de Saudade”, com a participação do violoncelista Yo-Yo-Ma, além de belíssimos registros para canções como “’S Wonderful” e “Besame Mucho”. Merece ser conferido!

·                     O guitarrista norte-americano (criado em Pernambuco) Arto Lindsay, mais conhecido como produtor de alguns discos de Caetano Veloso, Marisa Monte e Carlinhos Brown, acaba de lançar seu novo álbum intitulado “Salt”, um trabalho que alia o lounge eletrônico a um quase manifesto pós-tropicalista. A voz de Arto é frágil, mas não chega a comprometer as composições (a maioria delas em parceria com a badalada dupla carioca Kassin e Berna Ceppas), as quais se alternam entre o português e o inglês, em jogos de palavras que privilegiam a sonoridade fonética de ambos os idiomas. Há boas canções como “Into Shade” e “Combustível”, mas certamente não se trata de um CD facilmente palatável.

·                     A gravadora Trama segue inovando e põe no mercado o DVD “Elis Regina – MPB Especial”. Trata-se do programa “Ensaio”, veiculado pela TV Cultura em 1973, totalmente dedicado à mãe de Maria Rita. Toda a ternura e a carga emocional da “Pimentinha” (apelido dado a Elis por Vinícius de Moraes) ficam expostas numa entrevista franca e comovente, entremeada por 17 belas canções interpretadas com toda a alma pela nossa maior cantora.

·                     Arnaldo Baptista foi um dos integrantes dos Mutantes, lendária banda responsável por lançar Rita Lee aos holofotes. Co-autor do hit “Balada do Louco” e vinte e dois anos depois de sofrer um acidente que o levou ao coma, ele está lançando o CD “Let It Be”. A princípio um trabalho difícil de ser digerido pelo ouvinte comum, na verdade esconde a arte de um autor ousado que não se cansou de experimentar: tem faixa aproveitada de uma fita cassete (“Cacilda”), outra sugestivamente chamada “LSD” (cujos versos iniciais são: ‘Louvado Seja Deus…’), uma bossa nova não convencional (“Bailarina”) e até um tema folclórico que o avô do cara costumava cantar (“Gurum Gudum”). Mas a melhor faixa do CD (que prioriza as canções em vez do rock) é mesmo “Garupa” que conta, nos vocais, com a participação de Lucinha Barbosa, mulher de Arnaldo e a maior responsável por sua recuperação.

·                     Roberto Carlos voltou atrás (êta cabecinha complicada a desse Rei!) e adiou o lançamento de seu esperado disco de intérprete para o próximo ano. Para este Natal, programou o CD oriundo do show realizado recentemente no Estádio do Pacaembu, em São Paulo. Será, então, um registro ao vivo de canções já exaustivamente trabalhadas como “Emoções”, “Força Estranha”, “Cavalgada” e “Detalhes”. E depois esse pessoal ainda vem reclamar com a queda nas vendas!

 

Rubens Lisboa é compositor e cantor

 

Quaisquer críticas e/ou sugestões serão bem-vindas e poderão ser enviadas para o e-mail: rubens@infonet.com.br

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais