Notas Plenário

0

ALBANO O ex-governador Albano Franco (PSDB) passou a maior parte do dia de ontem em visita ao irmão Antônio Carlos Franco e esteve com alguns amigos no período da noite. Albano passa três dias em Aracaju e pode participar do primeiro dia do Pré-Caju. Depois viaja para o Rio de Janeiro, onde permanecerá até março. MENDONÇA O secretário de Segurança, Luiz Mendonça, considerou que era prematuro fazer qualquer avaliação sobre o autor e mandante do assassino do deputado estadual Joaldo Barbosa (PL). Lembrou que vem de uma casa (Ministério Público) que não pode cometer injustiças, mas confirmou que as suspeitas caminham para a questão de abrir vaga para o suplente. AÇÕES Luiz Mendonça vem tomando uma série de medidas que está colocando a Segurança em ordem, principalmente na ação de alguns aproveitadores. Ele já detectou que no posto de gasolina que abastecia a Secretaria, o combustível era pago da seguinte forma: “20% para o bombeiro, 20% para o policial e 10% para o carro”. ECONOMIA O secretário da Segurança acrescentou que vai economizar o máximo, reduzir os gastos e exigir eficiência: “vou diminuir a criminalidade e a corrupção”. Ele anunciou que neste período que está lá já reduziu de R$ 1 milhão para R$ 500 mil os gastos na Segurança, sem afetar os serviços. HELENO O presidente do PL em Sergipe, deputado federal Heleno Silva, disse que não pode opinar sobre o crime de Joaldo Barbosa, a não ser depois da apuração policial. Confirmou que Joaldo já havia dito que daria a vaga a Antônio Francisco por um tempo. Heleno também conversou ligeiramente com Antônio Francisco: “ele disse que não tinha nada com isso”. GRAVAÇÃO O presidente do PPS, Ivan Paixão, já gravou para o programa do partido, que será exibido na televisão. Hoje quem grava é a vice-governadora Marília Mandarino. A deputada Susana Azevedo e o advogado Wellington Mangueira também vão gravar. O objetivo é conquistar novos aliados para o PPS. CARGOS O Governo do Estado começou a atender deputados, prefeitos e lideranças políticas importantes, para nomeação dos cargos em comissão na capital e interior. É uma avalanche de exigências que tumultua a administração, porque o não atendimento a um simples pedido para nomeação de um boy, pode gerar um conflito político imenso. EXAGERO É preciso paciência da cúpula, porque segmentos divergentes que apoiaram João Alves Filho, principalmente no interior, estão querendo a maior parte dos cargos para o seu lado. Tem cidades que duas ou três lideranças votaram em João. Uma delas está exigindo 50% dos cargos. Haverá muita confusão. NA MESMA O Governo João Alves Filho praticamente não teve início. Primeiro foi com nomeação de auxiliares diretos, criação de novos cargos para acomodações e nomeação do segundo escalão. Agora vai começar a questão dos Cargos em Confiança e trabalhar a distribuição para satisfazer a um mundo de gente que o apoiou. Isso vai durar mais de 60 dias. SAMARONE Uma observação feita por um jornalista: “por que todos os dias o vereador Antônio Samarone (PT) está na mídia criticando o prefeito e falando sobre a taxa de iluminação pública?”. A mesma fonte insiste: “por que não se dá o mesmo espaço aos vereadores Antônio Góes e Francisco Gualberto, que também votaram contra?”. Conclui que há algum esquema no ar. DESTRUIÇÃO O mesmo jornalista, que está passando algum tempo fora dos jornais, revela que “quem destrói o Partido dos Trabalhadores é o próprio PT”. Lembrou que sempre utilizou o ditado: “quem quiser destruir o PT, basta colocá-lo no poder”. Acha que não foram os petistas que elegeram Lula presidente. ABSURDO O professor Carlos Alberto, um dos cidadãos mais competentes do Partido dos Trabalhadores, foi vetado para a Secretaria da Educação do Município. A autora do veto teria sido a deputada estadual Ana Lúcia, que também é professora. O defeito grave de Carlos Alberto: ser amigo do jornalista Luiz Antônio Barreto. LIXEIRA O prefeito da Barra dos Coqueiros, Gilson dos Anjos, fez do lado de cá da ponte que liga sua cidade a Pirambu, a lixeira oficial da cidade. A maioria dos turistas tem essa visão triste antes de chegar a uma das cidades bem visitada do Estado, principalmente neste período de carnaval. JACKSON O deputado federal Jackson Barreto (PMN) só vai começar a pensar em outro partido depois do carnaval. Em março, quando estiver na Câmara e conversar com os colegas. Continua sem ter nada definido em relação ao novo partido, mas não quer falar do PMDB e parece muito simpático ao PTB. JERÔNIMO O ex-prefeito de Lagarto, Jerônimo Reis (PTB), está pensando muito em viajar, passar um tempo fora e se afastar da política por um período considerável. Pretende, inclusive, sair de Lagarto para evitar envolvimentos com a política e, para o lugar que for, ficará absolutamente neutro. No fundo, ele quer dar um tempo em sua atuação. Sobre seu partido não ter integrado a nova equipe da Prefeitura de Aracaju, Jerônimo diz que não tem problema, porque vêm os cargos federais. “Se mesmo assim nada acontecer, vêm as eleições municipais e com certeza seremos lembrados”. ALMEIDA O senador eleito José Almeida Lima (PDT) revelou que conversou muito com Jerônimo Reis, no período em que ele foi se compor com a esquerda. Disse que o alertou de que “esse pessoal não divide cargos”. Lembrou que quando esteve à frente da Prefeitura, os aliados de Jerônimo ocuparam cargos importantes no Município: “e ele nem votava em mim”. Jerônimo Reis concordou, disse que Almeida realmente colocou em posições estratégicas alguns dos seus amigos, mas também lembrou que foi num período em que todos estavam no mesmo barco com o ex-prefeito Jackson Barreto. ATERRO Há dois anos atrás, o presidente da Emsurb, engenheiro Oswaldo Nascimento, foi à Assembléia Legislativa e disse que a empresa estava tomando providências para a transferência da lixeira. Quarta-feira passada aconteceu o quinto acidente com um avião, atingido por um urubu, o que provocou risco de vida para os passageiros. A qualquer momento o Ministério Público interdita a lixeira. Então, a Prefeitura terá que jogar o lixo de Aracaju no aterro sanitário adquirido pela Torre no Ibura, que será improvisado até sua conclusão. O aterro fica acima do lençol freático do Ibura. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais