O parquímetro, novela que só começa

0

O Prefeito João Augusto Gama anda bastante contrariado com a reação intempestiva da Câmara de Vereadores, que aprovou lei proibindo a adoção do parquimetro para a zona central da cidade.

Entende o Chefe do Município que a reação não tem sentido, pois a própria Câmara deu aprovação para a realização da concorrência de caráter nacional, visando a escolha da empresa que administraria o parquimetro.

Agora que tudo está pronto, e as primeiras máquinas começam a ser instaladas, a Câmara vota projeto de lei proibindo-as, a fim de garantir o trabalho dos flanelinhas. É preciso esclarecer que todas as grandes cidades do mundo, inclusive no Brasil, adotam o sistema de estacionamento pago através de máquinas.

A empresa arrendatária do serviço paga 6,5% do arrecadado à municipalidade, mais 5% do Imposto sobre Serviço. Com a decisão da Câmara a coisa se complica.

Comentários