Pimpolhos fizeram a festa na Orla

0

(Fotos: Marco Vieira)
Assim como milhares de crianças, o pequeno Crislan de Souza, de 12 anos, havia ido à orla de Atalaia atraído pelas brincadeiras e atrações. Mas ele nunca imaginaria que, em meio a tanta diversão, o que lhe marcaria seria seu primeiro contato com a poesia, proporcionado pelo ‘Espaço da Leitura’ erguido no evento. “Nunca havia entrado em uma biblioteca que não fosse a da escola. E foi aqui que comecei a ler um pequeno livro sobre versos, ensinando como começar a fazê-los. Acho que começarei alguns aqui mesmo”.

O entusiasmo de Crislan ressalta uma das principais características do ‘Dia de Todas as Crianças’: a união entre diversão e educação para celebrar a data especial dos pequeninos. Realizado em parceria entre o Governo de Sergipe, a Prefeitura de Aracaju e o Banese, o evento foi marcado pela oferta de diversas oficinas e atividades educativas voltadas para estimular, de maneira lúdica, a vontade de aprender.

Segurança

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) foi um dos órgãos mais engajados na promoção de instrução para a criançada. Com estandes repletos de equipamentos utilizados pelas Polícias Civil e Militar e pelo Corpo de Bombeiros, a secretaria atraiu pessoas de todas as idades dispostas a conhecer o maquinário e os recursos necessários para garantir a segurança no estado. Um deles foi o militar aposentado José Dias, que conferiu as explicações dos policiais sobre equipamentos de segurança ao lado de seus netos.

“A população precisa ter noções de como e com o que a polícia trabalha. A explanação foi completa, e o evento está ótimo”, destacou Dias. Já sua neta Caroline Ferreira, de 11 anos, não precisou de muito para externar sua satisfação com os detalhes apresentados do funcionamento do bafômetro. “Achei muito interessante mesmo”. Outro neto de José Dias, o pequeno Victor Hugo Ferreira Reis, de 7 anos, foi ainda mais longe. “Já estou pensando em ser soldado”. 

Outra exposição educativa realizada pela SSP que tomou ares de atração foi a do Canil da Polícia Militar. No estande, policiais responsáveis pelo adestramento levaram à Orla 4 cães para exibição – dois farejadores e dois para ataque – e esclareceram dúvidas de adultos e crianças acerca do processo de treinamento e de cuidado com os animais. Autodeclarada apaixonada por cães, a dona de casa Aparecida Santos Nascimento encorajou a filha Yasmim a fotografar ao lado de um rottweiller de ataque – que, orientado pelo instrutor, sentou docilmente ao lado da menina.

“Todos lá em casa gostam de cachorro. E acho que esta oportunidade faz com que outras pessoas também venham a gostar. Em geral, o evento está maravilhoso”, frisou Aparecida. Outra atividade promovida pela SSP foi a exibição do helicóptero, que, no intervalo de seu trabalho de patrulhamento, ficou à disposição para fotos e explicações sobre seu funcionamento.

Detran e Saúde

A escolinha de trânsito foi outra ação de destaque de promoção de educação de forma lúdica. Realizada em parceria entre o Detran e a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), a atividade uniu passeios em carrinhos elétricos com educação no trânsito em um pequeno trajeto sinalizado, ressaltando a importância da atenção aos sinais, à faixa de pedestres e à própria condução dos veículos.

Mãe de Eduardo Oliveira, um dos pequenos motoristas na pista improvisada no Espaço de Convivência da Orla, a dona de casa Josefa Oliveira ressaltou a iniciativa e a empolgação do garoto. “Ele gosta muito de carrinho. Brinca direto em casa. E aqui ele tem a oportunidade não só de entrar em um, mas de aprender um pouquinho sobre trânsito. Dou muito valor a isso”.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) também promoveu diversas atividades educativas ao longo de toda a segunda feira. Além das oficinas de educação alimentar e de higienização bucal oferecidas durante toda a manhã, uma das ações que mais atraiu público foi a série de apresentações e oficinas realizadas pela diretoria de Atenção Psicossocial, que focou na saúde mental.

“Nossa proposta é promover de forma divertida os cuidados necessários para que nos mantenhamos saudáveis mentalmente. Para isso, realizamos oficinas de papel, de pintura de pele e de dança do ventre, atividades que servem tanto para os pais quanto para os filhos”, ressaltou Aline Oliveira, integrante da diretoria de Atenção Psicossocial da SES.

A dona de casa Luciene Batista Trindade levou os quatro filhos à Orla de Atalaia e fez questão que todos usufruíssem da oficina de pintura. “Cheguei bem cedo por aqui para aproveitar tudo o que podia, pois acho que essa festa só traz benefícios para nossas crianças”, disse. Ainda para ela, a oficina coordenada pela SES é uma oportunidade para que a criançada possa desenvolver uma atividade nem sempre explorada pelas escolas.

“Não sei se eles têm uma atividade assim onde estudam, pois nunca os vi trazer desenhos para casa. Aqui, então, é uma oportunidade que eles têm de desenhar com tinta e papel à vontade. Em resumo, acho que aqui eles aprendem brincando”, disse.

Biblioteca

Já a Secretaria de Estado da Cultura (Secult) usou o dia das crianças como uma oportunidade para disseminar o incentivo à leitura. A medida foi a tônica do ‘Espaço da Leitura’, para onde a biblioteca infantil Aglaé Fontes levou diversos exemplares de gibis e livros infantis. De acordo com a diretora da biblioteca e coordenadora das atividades na Orla, Cláudia Stocker, nenhuma das demais edições do evento teve tanta participação e procura como a deste ano. “Foram cerca de 600 pessoas só na parte da manhã, o que quer dizer que o costume pela leitura está crescendo”.

Segundo ela, o principal foco do Espaço foi atingir crianças analfabetas ou semi analfabetas. Para alcançar isso, diversas ações foram realizadas paralelamente à exposição dos livros. “Tivemos a presença de dois grupos de contadores de histórias e contamos com a participação da escritora infantil Telma Costa, tudo para estimular nos pequenos o gosto pelo mundo da fantasia”, explicou. Também fez parte da programação uma oficina de confecção de brinquedos a partir de Garrafas Pet e atividades interativas que incluíam livros como premiação. “A criança que contasse uma história era presenteada com um exemplar”, explicou Cláudia.

A doméstica Cledja Souza, que levou vários sobrinhos para a Orla, aprovou a ideia de uma biblioteca em pleno evento para crianças. “Foi a primeira vez que vi algo assim. E acho ótimo, pois muita gente sequer lembra seus filhos de que existem espaços para se guardar o conhecimento. Acho mais do que válida essa junção de brincadeira e educação no mesmo lugar”.

Fonte: ASN

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais