“Plenário”, por Diógenes Brayner

0

Ir fundo A sociedade está começando a se movimentar contra os crimes de mando em Sergipe. No arquivo dos casos insolúveis, a maioria é de pessoas que foram mortas em tocaias, nas suas casas ou em locais que freqüentavam, por assassinos de aluguel. Aliás, o comércio da morte tem pontos estratégicos no Estado e adotou como seu principal centro a cidade de Canindé do São Francisco e adjacências. Canindé é onde está a Usina Hidroelétrica de Xingo, que e se transformou em ponto de referência para o turismo de Sergipe, Alagoas e parte do alto sertão da Bahia. Pois é nas brenhas desta cidade, banhada pelo rio São Francisco, onde se amoitam os mais temíveis matadores do Nordeste. Aqueles homens que quando atiram no olho, se pegar na pestana foi erro. Quem vai lá houve, com uma certa naturalidade, a frase: “aqui não se acoberta ladrão, mas matador pode vir que tem guarida”. É uma cidade violenta, principalmente depois da Hidroelétrica, que trouxe muita gente de outros Estados e provocou um movimento intenso na região. A Polícia sabe que geralmente é das bandas de Canindé que se contrata, a preços módicos, bons profissionais do gatilho. Essa fama não deve ser boa para o turismo da cidade, mas é uma realidade triste… O secretário de Segurança Pública, promotor de justiça Luiz Mendonça, é um cidadão bem intencionado e disposto, mas tem agido com muita precaução, porque é oriundo de uma Casa que não tem o direito de cometer injustiça. A imprensa toda praticamente tem conhecimento do passado do delegado Luciano Cardoso, que hoje é coordenador das Delegacias de Polícia do Interior. O deputado estadual Gilmar Carvalho denunciou que Luciano “está envolvido em corrupção e não pode participar das investigações do assassinato de Joaldo Barbosa”. Gilmar foi mais longe: “o delegado esteve numa festa na fazenda de Marcos Muganga, que anunciava que Joaldo Barbosa não assumiria o mandato. Isto quinze dias antes do assassinato”. A medida mais imediata deveria ser o afastamento de Luciano Cardoso pelo comando da Secretaria de Segurança, até que tudo fosse definitivamente esclarecido. O secretário Luiz Mendonça, entretanto, agiu de outra forma: chamou Cardoso e lhe pediu que provasse que não estava na fazenda. Terá que e justificar o que disser. Quanto a uma máquina de caça níquel, Mendonça disse que foi o irmão do delegado que trabalhou nela. Reconheceu que se tratava de uma contravenção: “mas estava com ordem judicial para funcionar”. Não seria bom procurar saber quem deu essa ordem para funcionamento de uma contravenção? Plenário leu um e-mail, recebido há 30 dias, para o secretário de Segurança, que relatava o seguinte: “o nome do assassino era apenas Zé. Seria filho de um homem conhecido por Alemão e passou 15 dias em um hotel de Aracaju, olhando todos os movimentos do deputado estadual Joaldo Barbosa. Depois do crime, teria viajado para Roraima e se hospedado em uma fazenda de propriedade de Floro Calheiros. A empreitada fora arquitetada por R$ 400 mil e se não fosse paga, o deputado Antônio Francisco morreria”, O secretário ficou sério e disse que boa parte do e-mail era verdade e que a elucidação do crime estava exatamente nessa direção. Só adiantou que o deputado não sabia do contrato. Luiz Mendonça disse que vai chegar aos assassinos de Joaldo Barbosa, porque tem muitas provas contundentes. Disse ainda que vai fundo em todos os outros crimes de pistolagem, sem recuar e nem atender a qualquer pedido: “pode ter certeza que vou em frente, independente de quem esteja por trás disso”. O deputado estadual Gilmar Carvalho também contou que o ex-secretário de Segurança, Gilberto Passos, quando ainda não era secretário, foi procurado pelo delegado comissionado de pré-nome Augusto, para pedir-lhe uma orientação, porque tinha prendido Ricardo Floro e dois amigos em um carro cheio de armas, Isso depois do assassinato do agiota Motinha, no bar Paraty, em Aracaju, mas uma juíza exigia que ele soltasse os suspeitos. Passos disse que, se fosse ele não soltaria, mas como Augusto era cargo comissionado, que decidisse pela soltura. O que foi feito. Através de qualquer levantamento primário não será difícil saber quem mandou soltar os suspeitos e começar a puxar o fio de meada. Plenário inclusive disse ao promotor que infelizmente a “caneta de certos membros do judiciário, às vezes, era muito mais perigosa do que uma metralhadora em mãos de bandidos”. Ele riu, garantiu que “o crime de Motinha está sendo muito bem investigado e será desvendado em pouco tempo”. A sociedade cobra isso, inclusive o desmascaramento de muita gente travestida de importante e religiosa, mas que tem o instinto de uma cobra que não hesita em matar qualquer pessoa, com um simples balançar de rabo. Se a luta é contra a impunidade e por um País novo, que lutemos todos… CULTURA O ex-deputado José Carlos Teixeira (PMDB) foi convidado oficialmente, anteontem, para substituir Benedito Figueiredo na Secretaria da Cultura. O nome de Teixeira já havia sido escolhido há alguns dias, mas só quinta-feira o convite foi formalizado e aceito. José Carlos retorna a um cargo público depois de 12 anos. VINCULO José Carlos Teixeira tem um vínculo muito forte com a Cultura no Estado e é um nome que agrada a classe artística e outros segmentos da cultura sergipana. Muito animado, Teixeira tem idéias audaciosos para colocar em prática um projeto cultural que eleve Sergipe, da mesma forma que fez quando esteve à frente da SCAS. LOGOMARCA O Ministério Público vetou a nova logomarca do Governo, escolhida em concorrência pela Secretaria de Comunicação. Agora haverá outra nova licitação. A nova logomarca trazia um chapéu de couro e o Ministério Público vetou por considerar que o símbolo fora utilizado na campanha de João Alves Filho. BELIVALDO O deputado estadual Belivaldo Chagas (PPS) acha que o governador João Alves Filho (PFL) tem faltado com respeito à Assembléia. Primeiro por não ter vindo para o trabalho de abertura e depois porque não envia o Plano de Governo. Belivaldo disse que a Assembléia Legislativa vai começar a convocar os secretários, para tomar conhecimento do Plano de Governo, já que até o momento nada foi enviado. DESPREZO O parlamentar diz que nota um certo desprezo do Governo para com o legislativo. Atribui a isso o fato do Executivo ter larga maioria na Casa. Segundo Belivaldo, o governador acha que a Assembléia Legislativa é só para aprovar contas e matérias de interesse do Executivo. ALMEIDA O senador Almeida Lima subirá na tribuna, quinta-feira próxima, para fazer um pronunciamento em favor da instalação da refinaria de Petróleo em Sergipe. Almeida vai mostrar, tecnicamente, que Sergipe é o Estado mais viável para construção da refinaria. O Ceará está entrando forte para ser beneficiado com a obra. MARÍLIA A vice-governadora Marília Mandarino (PPS) exigiu que o seu gabinete, com toda estrutura, fosse instalado no Palácio dos Despachos. Desde ontem que os funcionários do Palácio estão procurando uma solução para acomodação da vice-governadora, que quer um gabinete à altura do cargo. CARNAVAL O secretário da Fazenda, Max Andrade, deu uma boa notícia para os servidores públicos: todos os salários serão pagos até o dia 28. O dinheiro vai sair antes do carnaval… Max está satisfeito porque o mês de janeiro teve 10% no aumento da arrecadação, em relação ao mesmo período do ano passado. Acha que em fevereiro vai atingir a mesma coisa… SEM DATA Max Andrade, entretanto, revela que não tem data prevista para o fim do pagamento antecipado do ICMS, que é uma das promessas de campanha do governador João Alves Filho. O secretário insiste que o Programa do Sefaz, que reduz impostos de algumas empresas, está atrapalhando o fim do pagamento antecipado. COMIDA A secretária de Erradicação à Pobreza, Maria do Carmo Alves (PFL), vai distribuir refeições sem limites para as pessoas carentes de cidades, com alto índice de pobreza. A decisão decorreu da aflição de uma mulher simples: “D. Maria, vou ter comida para mim, mas meus filhos estão passando fome”. A partir daí o cadastro é feito para a família toda. REUNIÃO Em Nossa Senhora de Lourdes a secretária Maria do Carmo fez uma reunião com artesãos da cidade, principalmente rendeira, para incentivar a produção. Quanto à distribuição para o mercado, será feita por órgãos do Governo e a venda revertida ao pessoal. O objetivo é ensinar a ganhar o pão. MACHADO O deputado José Carlos Machado (PFL) disse, ontem, que os deputados estão muito preocupados com o Conselho de Desenvolvimento Social. Machado acha que qualquer projeto mais amargo, que o Governo pretenda apresentar, será protelado tendo como desculpa a ação do Conselho. PREVIDÊNCIA José Carlos Machado também fala sobre a Previdência Social: “O Governo diz que é o modelo econômico, o servidor culpa a gestão e eu acho que é culpa dos dois”. O deputado lembra que o maior empregador é o Governo Federal e, dentro desse impasse, por que não se abre a mala preta e identifica os culpados? FONTES O deputado federal João Fontes esteve, ontem, na Polícia Federal, de Sergipe, e entregou a relação dos telefonemas grampeados, em Sergipe, ao superintendente Kercio Pinto. O delegado explicou que um juiz da Bahia pode determinar grampeamento de telefones em Sergipe, porque se trata da mesma empresa de telefonia. Notas VENÂNCIO O deputado estadual Venâncio Fonseca (PPB) disse, ontem, que está ansioso para que a Polícia chegue o mais rápido possível aos assassinos e mandantes do crime de Joaldo Barbosa (PL), para que esclareça todo o episódio e se ponha um fim às insinuações maldosas que circulam pela cidade desde o dia do seu assassinato. Na semana passada, Venâncio deixou claro que as divergências entre os Fonseca e Joaldo Barbosa eram meramente políticas, não existindo nada de pessoal, principalmente a ponto de se levar a pratica de um crime dessa proporção. PLENÁRIO O deputado federal José Carlos Machado disse, ontem, que a bancada de Sergipe tem mostrado presença maciça em todas as sessões plenárias da Câmara Federal, desde que abriram os trabalhos. Todos estão com vontade de exercer o mandato com garra e determinação, sempre defendendo os interesses do Estado e dos seus partidos. Machado diz que a realidade do Plenário é outra e que há necessidade de aproximação com a cúpula que comanda a Câmara, para que tenha oportunidade de ter voz nas sessões. A Câmara é comandada por um grupo de 20 a 30 parlamentares. JOÃO ALVES O governador João Alves Filho (PFL) passou o dia de ontem discutindo, com os demais governadores do País, o projeto para as Reformas Tributária e Previdenciária. A convocação foi feita pelo presidente da República, Lula da Silva, que esteve com os governadores na Granja do Torto. A reunião continua hoje e termina à tarde. O problema da Previdência e muito complexo, porque está em um buraco negro profundo, sem a menor chance de se chegar a uma luz no final do túnel. O Governo está perdido em encontrar o caminho e os governadores esperam um sinal do presidente. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais