PMs e Bombeiros realizam assembléia

0

Agora pela manhã está sendo realizada, no Cotinguiba Esporte Clube, uma assembléia geral que reúne os policiais militares e Corpo de Bombeiros. Prevista para começar às 9 horas, a reunião atrasou cerca de uma hora devido o pouco número de presentes. O principal intuito da assembléia é discutir uma pauta unificada onde os principais pontos são: questão salarial, condição de trabalho e perspectivas de ascensão profissional.

A expectativa era de otimismo. Segundo o sargento Araújo, dirigente da Associação de Praças da Polícia Militar (Asprase), as entidades estavam bastante

Sargento Araújo
confiantes no comparecimento dos seus representados. “A expectativa é de que o pessoal venha para que possamos discutir com toda a categoria e formular uma pauta que tenha o crivo da tropa para ser levada primeiramente aos comandos da PM e do Corpo de Bombeiro e depois a Secretaria de Segurança Pública e demais órgão competentes”, explicou Araújo.

O dirigente da Associação de Bombeiros e Militares, Sargento Neyme, também acreditava num bom volume de presentes. “ A mobilização foi ótima, mas ainda vamos esperar mais um pouquinho para ver se chega mais gente. Vamos começar por volta das 10 horas”, disse. Neyme explicou ainda que o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar seguem a mesma legislação. “Estamos separados apenas pelo comando e na questão administrativa”, colocou o sargento explicando que em função disso a pauta vai ser unificada, ou seja, tanto os bombeiros, quanto os policiais militares irão lutar pelos mesmos pontos, sem especificidades para um ou para outro.

Sargento Neyme
PAUTA – Entre os pontos chaves da pauta estão a aprovação da lei que transforme o soldo e as gratificações da PM e do Corpo de Bombeiros em subsídios; a extinção das gratificações para proporcionar a concessão de um salário padrão para os policiais e bombeiros militares; melhoria das condições de trabalho e da estrutura física dos quartéis e postos de serviço; aquisição e distribuição equipamentos de segurança pessoal, a exemplo do colete a prova de bala para os policiais do serviço ostensivo; e alteração da lei de promoção de praças.

A assembléia, além de debater os pontos de pauta, no intuito da construção de um consenso em torno das reivindicações, deve ainda definir uma comissão composta por representantes das associações para negociar frentes aos comandos e a Secretaria de segurança Pública. Participam da assembléia a Associação de Cabos e Soldados (ACSPMCB), Associação de Subtenentes e Sargentos (ASSPM), a Associação de Policiais e Bombeiros Militares, a Associação Sergipana de Bombeiros Militares (ASBM) e a Associação de Praças da Polícia Militar (Asprase). 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais