Polícia suspeita que vítima de assalto teria matado homem a pedradas

0
SSP já estava investigando Tiazinha novamente por prática de roubo e furto (Foto: Ascom SSP)

A Polícia Civil já tem definida a linha de investigação sobre a morte de Aldair de Jesus Menezes, 25, atingido por pedradas no município de Nossa Senhora das Dores. Os primeiros levantamentos realizados pela Polícia Civil indicam que o crime teria sido cometido por um rapaz, que teria sido vítima de uma tentativa de roubo.

E o assaltante, conforme os primeiros levantamento da Polícia Civil, teria sido identificado como Aldair Menezes, que é conhecido na região como Tiazinha. O crime aconteceu na madrugada da terça-feira, 16, por volta das 2h no Loteamento Pereira Santos. Conforme informações da assessoria de imprensa da SSP, um rapaz [identidade não revelada] saiu de uma festa na madrugada e seguia para casa em Nossa Senhora das Dores quando teria sido surpreendido por Aldair.

Conforme a SSP, Tiazinha teria envolvimento com roubos e furtos na região, e naquela madrugada, teria tentado roubar o aparelho celular do rapaz, que teria reagido se armando com uma pedra. O rapaz desferiu os golpes que teriam causado a morte de Aldair, conforme os primeiros levantamentos realizados pela equipe da Polícia Civil.

Coleta de provas

As investigações estão sendo conduzidas pelo delegado Marco Garcia, do município de Nossa Senhora das Dores. O delegado já ouviu amigos e familiares de Tiazinha e está em diligência, buscando novas provas que possam efetivamente elucidar o crime.

Conforma a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), Tiazinha chegou a cumprir pena por prática de roubos e furtos no sistema prisional de Sergipe e teria conquistado progressão da pena, passando para o regime aberto. A assessoria informou que Tiazinha ganhou a liberdade decorrente da progressão da pena no mês de abril deste ano e já estava novamente sendo alvo de investigação em decorrências de denúncias de novo envolvimento em práticas criminosas na região.

As investigações sobre a morte de Tiazinha continuam e não há previsão para a conclusão. O inquérito policial foi instaurado na terça-feira, 16, dia em que o corpo de Tiazinha foi encontrado, e o delegado Márcio Garcia terá prazo de 30 dias para concluí-lo.

por Cassia Santana

Comentários