População denuncia desgoverno em São Cristovão

0
Moradores ateam fogo em objetos e interditam rua (Fotos: Cássia Santana/Portal Infonet)

Fossas estouradas, falta de água potável, ruas mal iluminadas e violência são os principais problemas elencados pelos moradores do bairro Apicum, no município de São Cristovão. Nesta quarta-feira, 7, a comunidade se reuniu, ateou fogo em madeiras e objetos domésticos para interditar a avenida Irineu Neves, a principal daquele bairro.

“Tem duas semanas que não temos água aqui”, resume a trabalhadora autônoma Marli dos Santos. “A gente pega água da fossa para lavar os pratos, os banheiros e a casa. Só não dá pra cozinhar, mas é essa água que tem salvado a gente”, conta a balconista Érica Maria dos Anjos.

O comerciante Valdir Siqueira informa que uma sobrinha dele caiu em um grande buraco existente na principal rua do bairro e só não ocorreu uma tragédia porque havia um motociclista nas proximidades e a garota segurou no veículo com a ajuda do condutor. “A gente paga taxa de iluminação, mas não se vê uma lâmpada nas ruas”, diz. “Moça, nosso gado tá morrendo de sede, estamos abandonados”, observa o agricultor Geraldo dos Santos. “Com as ruas escuras, os marginais aproveitam e todo dia tem assalto por aqui”, complementa o pescador Alceni da Costa.

A Polícia Militar acompanhou a manifestação de longe e solicitou a presença da equipe do Corpo de Bombeiros para debelar o fogo. “Estamos aguardando o desenrolar da situação para negociar com os manifestantes e desobstruir a pista”, informou a aspirante Gilvânia de Oliveira, da Companhia Radiopatrulha (RP).

Os manifestantes responsabilizam a administração municipal e solicitam providências para sanar os problemas. A prefeita Rivanda Batalha (PSB) admite todos os problemas, considera como verdadeiras as reclamações e garante que está tentando solucioná-los. "Mas não depende de minha vontade, depende de recursos e a prefeitura não possui dinheiro para fazer os investimentos necessários", reage a prefeita.

Rivanda Batalha informa que a solução deve chegar ainda neste ano. Já está tramitando no Ministério das Cidade o projeto que prevê toda a reestruturação do sistema de abastecimento de água do município, com investimento previsto de R$ 20 milhões. E, para a manutenção da iluminação pública, a prefeitura já iniciou processo de licitação para contratação de empresa especializada, segundo a prefeita.

Por Cássia Santana 

Comentários