Preso último suspeito acusado da morte de torcedor

0
O acusado no crime, João Menezes (Foto: SSP/SE)

Foi preso na tarde desta terça-feira, 7, um homem acusado de assassinar Bruno Alexandre dos Santos, 21 anos. O crime ocorreu no dia 27 de junho de 2013, em uma via pública do conjunto Parque dos Faróis, em Nossa Senhora do Socorro, na região metropolitana de Aracaju. De acordo com a polícia, o assassinato foi praticado por dois homens armados que atingiram a vítima com dois disparos de arma de fogo. A polícia acredita que o crime tenha sido praticado pela disputa entre torcidas organizadas.

João Menezes de Souza, 22 anos, foi preso em uma via pública do Loteamento Santa Cecília, em Socorro. No momento da prisão, não houve resistência do acusado, porém o mesmo chegou a negar a sua participação no crime. Ele não possuía passagens pela polícia.

A polícia já havia feito a prisão do outro envolvido no assassinato, porém a divulgação não foi feita na imprensa para que não atrapalhasse o andamento das investigações. O envolvido identificado como Valbert Gonçalves da Silva, 20 anos já possui passagens policiais, onde respondeu pelo porte ilegal de arma de fogo. Bruno era integrante do Trovão Azul, enquanto João e Valbert faziam parte do Esquadrão Colorado (TEC), do Sergipe.

Crime ocorreu em junho de 2013, no conj. Parque dos Faróis

Após praticar o homicídio, os suspeitos fugiram. A vítima chegou a ser encaminhada ao Hospital de Urgências de Sergipe (Huse), e ao aguardar atendimento médico, Bruno Alexandre teria revelado a parentes o nome dos elementos envolvidos na ação criminosa. A vítima acabou não resistindo aos ferimentos e falecendo durante a madrugada. A revelação de Bruno foi peça importante para o trabalho de investigação da polícia.

“Essa informação foi muito relevante, porque no curso da investigação, foi apurado que eles já vinham se desentendendo em outra oportunidade e essas desavenças teriam sido motivadas por rivalidade de torcidas e ouve a constatação da veracidade do depoimento da vítima. Posteriormente ouvimos depoimentos e juntamos provas no decorrer do inquérito”, disse o delegado.

Valbert já encontra-se preso em um presídio, já João foi conduzido a 5ª Delegacia Metropolitana. Os acusados deverão responder por homicídio qualificado e poderão pegar de 12 a 30 anos de cadeia.

O delegado Mário de Carvalho Leony

Por Leonardo Dias e Kátia Susanna

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais