Racismo: vítima vai recorrer da decisão

0

“A sentença confirmou as injúrias e humilhações”, ressalta advogado 
Na tarde desta quinta-feira, 4, o advogado do caso de racismo que envolveu uma médica e um funcionário da empresa aérea Gol afirmou que a indenização proposta pelo Tribunal de Justiça não foi justa. Diogo Calazans foi enfático ao declarar que vai recorrer indenização proposta no valor de R$ 8 mil.

“A sentença confirmou tudo que alegamos no processo que foram as injurias e humilhações sofridas, apenas não ficamos satisfeitos com a indenização proposta pelo Tribunal. Temos 15 dias para recorrer”, afirma o advogado que salienta que na ação não irá propor nenhum valor.

“Não vamos requerer nenhum benefício, isso vai ficar a cargo do desembargador. Caso essa indenização não seja justa vamos recorrer ao Supremo Tribunal de Justiça”, adianta.

Advogado diz que vai recorrer indenização de R$ 8 mil
Diogo Calazans explica que o valor da indenização não é o objetivo da vítima. “O valor da indenização não é o objetivo do processo. Temos o objetivo que sirva como exemplo e que casos como estes não aconteçam”, lembra.

Questionado sobre o processo que deverá julgar o crime de racismo, o advogado diz que em março de 2011 foi marcada uma audiência para apurar o fato.  

 

 

Por Kátia Susanna

Comentários