Radialista é indiciado por estupro e corrupção de testemunha

0
Radialista foi indiciado pela Polícia Civil (Foto: arquivo pessoal/Facebook)

A Polícia Civil indiciou o radialista George Magalhães pelos crimes de estupro e corrupção de testemunha. O inquérito que apurou os fatos foi concluído pelo Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV) e encaminhado ao Poder Judiciário.

De acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP), durante as investigações, a Polícia Civil ouviu os relatos da vítima, uma mulher de 42 anos, e de diversas testemunhas, além de funcionários do condomínio onde o radialista reside.

A SSP informou também que Antero Alves, produtor de George Magalhães, também foi indiciado por corrupção de testemunha. Conforme a Polícia Civil, ele estaria envolvido na tentativa, por parte do radialista, de comprar uma das testemunhas.

Relembre o caso

A vítima, que trabalhava no condomínio onde o radialista reside, fez um boletim de ocorrência no dia 22 de agosto para denunciá-lo pelo crime de estupro.  No dia 13 de setembro, George Magalhães foi preso porque, segundo a Polícia Civil, tentou comprar uma testemunha e atrapalhar as investigações.

A defesa de George Magalhães nega a acusação de estupro e diz que ele prestou todos os esclarecimentos ao DAGV. Quanto à acusação de suposta coação a testemunha, a defesa garante que foi a própria testemunha [um porteiro do prédio onde o acusado reside] que teria procurado o radialista para informar que tinha prestado depoimento a respeito do caso.

O Portal Infonet tentou contato com o produtor Antero Alves, mas ele informou que estava em reunião e daria retorno em breve. A equipe de reportagem continua à disposição por meio do telefone (79) 2106 8000 e do email jornalismo@infonet.com.br.

por Verlane Estácio

 

Comentários