Sergipe fica fora da polêmica da recuperação das estradas federais

0

Mapa dos trechos recuperados
O Programa Emergencial de Trafegabilidade e Segurança nas Estradas poderia ajudar a milhares de motoristas que utilizam as rodovias federais todos os dias. O que pode fazer com que o programa não saia do papel são justamente problemas políticos. No dia 30/12, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, anunciou que o governo federal estaria interessado na recuperação da malha viária, mas com uma condição: os governos estaduais teriam que disponibilizar recursos em conjunto com a União.

 

A princípio, Sergipe não estaria incluído na polêmica geral que ronda o processo. Explicando: em 2002, o governo federal baixou a Medida Provisória 82, que transferia 14,5 mil quilômetros de rodovias federais para o controle de 15 Estados brasileiros. Os Estados receberam R$ 1,8 bilhão para a manutenção destes trechos, mas ao que parece, os recursos não foram aplicados nas obras.

 

Agora, a União mais uma vez se dispôs a injetar recursos nessas rodovias, mas esbarrou na posição dos governadores de Estados como o Rio Grande do Sul e Minas Gerais, que não admitem co-participação monetária no Programa. No dia 2, foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) a Medida Provisória nº 276, que deu ao Ministério dos Transportes um crédito no valor de R$ 350 milhões para a execução de serviços do Projeto.

 

O presidente chegou a comentar que não era justo que a população fosse penalizada pelo estado das rodovias transferidas para os Estados, que não receberam a devida manutenção. O que se vê, agora, é uma espécie de cobrança da União pelo que não foi feito no passado. Dessa vez, as estradas serão recuperadas, se os governos desses Estados decidirem colaborar com o projeto.

 

Sergipe – O Estado também está participando do Programa, mas não da polêmica dos 15 Estados. Por aqui, serão recuperadas as BRs 101 e 235. A primeira será totalmente revista, com operações no trecho que começa na divisa de Alagoas e termina na Bahia. Já a 235 terá obras efetuadas a partir da entrada de Aracaju até a divisa com a Bahia.

 

As obras na 101 já têm 1.310.000 contratos licitados, enquanto que a 235 tem 870.000. O governo federal não considerou nenhum dos 320,1km somados como em estado de emergência. Toda a extensão das duas rodovias já foram licitadas, com um investimento no valor de R$ 2.180.000.

 

Por Wilame Amorim Lima

Da Redação do Portal InfoNet

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais