Servidores da SRT voltam ao trabalho

0

Trabalhadores fizeram um ato na porta da SRT para informar o fim da greve

Após 175 dias de greve, os servidores da Superintendência Regional do Trabalho (SRT) decidiram retornar ao trabalho na tarde desta quinta-feira, 30, apesar de não terem conseguido avanços em relação ao Plano de Cargos e Carreira. Com o dissídio, a liminar que garantia o corte de ponto deixa de existir, o que fez os trabalhadores encerrar o movimento.

Na manhã desta quarta-feira, 29, os trabalhadores realizaram um ato na sede da SRT com um café da manhã, visando informar a população sobre o retorno às atividades.

Segundo o diretor do Sindicato dos Previdenciários (Sindiprev), Adailson da Silva Santos, após o julgamento do dissídio, a negociação volta para a esfera política. “Em relação ao Plano de Cargos, o Governo continua irredutível e não conseguimos

Adailson da Silva durante café da manhã na sede da SRT
avançar em nada. Agora, a negociação volta para o Ministério do Planejamento e vamos manter o comando de negociações com o Planejamento, com o Governo Federal e os deputados para que sejam aprovadas emendas que venham a beneficiar as nossas reivindicações”, informa.

Ele ressaltou que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve a decisão da legalidade da greve. “Com isso, não serão descontados os dias parados. Será negociado como pagará as horas. Por conta disso resolvemos suspender a greve, já que, com o julgamento do dissídio, não haverá mais corte de ponto”, diz.

Condições

O sindicalista informou ainda que foi aprovado projeto piloto que está em desenvolvimento nos Estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais, visando a melhoria das condições de trabalho e do atendimento à sociedade.

“Esse projeto deve ser levado aos demais estados. Conquistamos ainda redução de 40h de trabalho para 30h semanais, ou seja, 12 horas ininterruptas. A greve valeu ainda porque conseguimos aprovar um documento em reunião no Ministério do Trabalho, que visa a melhoria dos serviços nos estados, cujas condições estão precárias”, enfatiza Adailson da Silva Santos.

Relembre

A greve dos servidores da Superintendência Regional do Trabalho teve início no dia 6 de abril. Cerca de 110 trabalhadores cruzaram os braços em Sergipe em adesão à greve nacional reivindicando aprovação do Plano de Cargos e Carreira e melhores condições de trabalho. Em maio uma decisão judicial garantiu o atendimento de 50% nos setores de Seguro Desemprego e de Carteira Profissional. Centenas de pessoas ficaram sem atendimento durante o período da greve.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais