Suspeito de cometer homicídio é morto em troca de tiros com a polícia

0
Suspeito tinha mandado de prisão  (Foto: SSP)

Na manhã desta quarta-feira, 21, policiais civis da Delegacia de Itaporanga D’Ajuda em ação conjunta com a Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE) realizaram uma operação com a finalidade de cumprir mandado de prisão em desfavor de Cleverton Moraes Santos, conhecido por “Tal”. O homem é suspeito de ter cometido dois homicídios consumados e uma tentativa de homicídio.

As equipes policiais receberam a informação de que “Tal” estaria em um sítio na zona rural da cidade de Santo Amaro das Brotas. Os policiais montaram um cerco no entorno da propriedade e visualizaram o foragido na companhia de outro indivíduo trafegando em uma motocicleta.

Os policiais tentaram abordá-lo, porém Cleverton saltou do veículo e correu para uma região de mata efetuando disparos contra os policiais e acabou sendo ferido durante o revide. Ele foi levado ao hospital mas não resistiu aos ferimentos e evoluiu a óbito.

O mandado de prisão contra Cleverton foi emitido pelo Juízo da Comarca de Itaporanga D’Ajuda, pois no dia 15 de setembro de 2019 ele, juntamente com e seus comparsas são suspeitos de invadir a fazenda de um rival, assassinarem o proprietário e o caseiro da fazenda e também desferirem vários tiros em uma mulher que se encontrava no local.

De acordo com a polícia, o crime ocorreu por disputas pelo domínio do tráfico de drogas na região do Parque dos Faróis, na cidade de Nossa Senhora do Socorro. Além das mortes, o grupo criminoso é suspeito de subtrair da vítima duas armas de fogo, uma quantia aproximada de R$100.000,00 (cem mil reais), além de 300kg de maconha que estavam enterrados na referida propriedade.

“Tal” é apontado pela Polícia Civil como um dos principais traficantes do Estado de Sergipe e o mesmo se auto intitulava o “Dono do Parque dos Faróis”, fazendo menção ao conjunto Parque dos Faróis na cidade de Nossa Sra. do Socorro, local onde o mesmo chefiava o comércio de entorpecentes.

Segundo a polícia, para se manter no domínio do tráfico de drogas, Cleverton assassinava rivais por toda a Grande Aracaju, sempre praticados com requintes de crueldade com execuções sumárias e até esquartejamentos. Com a finalidade de intimidar rivais, Cleverton chegava a filmar os homicídios que praticava, enviando os vídeos como aviso e como demonstração de poder. As investigações continuam para identificação e prisão dos demais envolvidos no homicídio.

Fonte: SSP/SE

Comentários