Terceirizados do sistema prisional pedem prioridade na vacinação

0
Profissionais de segurança terceirizados que trabalham em três presídios do Estado querem que a categoria seja incluída no grupo prioritário da vacinação (Foto: Sejuc)

Os prestadores de serviço terceirizados que atuam nos presídios de Aracaju, Areia Branca e Estância querem ser incluídos no grupo prioritário da vacinação contra a Covid-19. De acordo com o sindicato da categoria, mesmo com todos os cuidados adotados, os prestadores acabam ficando expostos ao contágio e estão adoecendo.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Terceirizados, Prestadores de Serviço e Agentes Disciplinares Penitenciários (Sintradispen), Antônio Luiz de Oliveira, conta que fez a solicitação a Secretaria de Estado da Justiça (Sejuc) para inclusão dos prestadores na vacinação.

De acordo com Antônio, na manhã desta sexta-feira, 23, o sindicato recebeu a informação, por parte da Sejuc, sobre a possibilidade de inclusão dos 540 colaboradores contratados pela empresa terceirizada Reviver – que atua no sistema prisional –  na lista de vacinação do grupo prioritário de profissionais de salvamento e segurança.

“Hoje a secretaria pediu os nomes de todos os colaboradores para incluir na lista. Os policiais penais estão aguardando serem incluídos no grupo pelo Ministério da Saúde, e esperando que nossa categoria seja incluída também no mesmo momento para que possamos ser vacinados”, explica

Antônio conta que mesmo com todos os cuidados adotados pelos prestadores de serviço nos presídios, muitos profissionais já tiveram que se afastar por conta da covid-19. De acordo com o sindicato, em 2020 mais de 60 colaboradores se afastaram das atividades e uma morte foi registrada pela doença. Em 2021 já são quase 30 afastamentos.

“Lidamos todos os dias com os visitantes e com os internos, e mesmo tomando todos os cuidados, infelizmente sempre temos casos de trabalhadores infectados. Esperamos que com essa sinalização da Sejuc possamos tomar a vacina o quanto antes”, conclui Antônio.

Sejuc

A Sejuc informa que a Nota Técnica do Ministério da Saúde atribui a prioridade da imunização contra a Covid-19 aos servidores das forças de segurança pública. Os servidores da Reviver atuam no sistema prisional, mas não são considerados força de segurança pelo artigo 144, da Constituição Federal.

A Sejuc informa ainda que existe pela instituição federal um plano de inclusão dos demais servidores do sistema prisional, tendo em vista as considerações feitas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Assim, eles serão incluídos. Mas, no momento, a Nota Técnica estabelece a imunização dos integrantes das forças de segurança, que, no caso da Sejuc, abrange a Polícia Penal.

Por Karla Pinheiro

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais