Trabalhadoras fazem caminhada no Centro de Aracaju

0

Crianças do Lateiros Curupira puxaram a caminhada (Fotos: Portal Infonet)

A concentração foi na Praça General Valadão

Assistentes sociais cobram diretos

A assistente social Marta Ávila lutando pelas 30h semanais

Edjanária Borges, representante da CUT

Mulheres percorreram várias ruas do Centro

Mulheres trabalhadoras feministas realizaram uma caminhada pelas ruas do Centro Comercial de Aracaju. Na concentração realizada na Praça General Valadão, lideranças discursaram em prol de avanços, a exemplo de reforma política,  creches, casas-abrigo, delegacias especializadas e pagamento dos direitos trabalhistas pelos gestores.

“Aqui temos vários grupos de mulheres na luta por melhorias no Estado de Sergipe. A pauta principal é a igualdade de direito. Estamos pedindo o fim da violência contra a mulher, que infelizmente, o problema continua presente na nossa sociedade. Precisamos de delegacias especializadas e trabalhadores capacitados para prestar bom atendimento. Lutamos por casa-abrigo e mais creches para que as mulheres possam sair para trabalhar e deixar seus filhos com segurança”, destaca a secretária  da Mulher Trabalhadora da CUT, Edjanária Borges.

“As assistentes sociais também estão presentes nessa caminhada, lutando pelo cumprimento da Lei 12.317/10, que regulamenta as 30/h semanais e incorporação das gratificações, que até agora só os médicos conseguiram. A categoria, formada em sua maioria por mulheres, está em greve há 13 dias, sem nenhuma contra-proposta, pelo contrário, recebemos uma ameaça velada de cortarem a gratificação”, lamenta a presidente do Sindicato dos Assistentes Sociais de Sergipe, Rosely Anacleto.

Participaram ainda do ato na praça e da caminhada, a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Sergipe (Sintese), Ângela Melo, do presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Rubem Marques, de integrantes do MOTU, Movimento Sem Terra e Casa das Domésticas.

Por Aldaci de Souza

Comentários