Uma viagem pelas drogas

0

No começo, a sensação de euforia, de esquecimento dos problemas, um novo mundo à disposição. Logo depois, as conseqüências, os pequenos furtos, as crises, o inferno. O mundo das drogas ainda permanece cheio de mistérios e mistificações. Alguns acham que drogas são apenas cocaína, maconha e afins. Outros pensam que drogados são doentes ou simplesmente pessoas com caráter fraco, mas poucos conhecem intimamente esse mundo e as formas de escapar do vício. A dependência de drogas é um problema sério no mundo. Atualmente, a estimativa é de que cerca de 150 mil pessoas participem de grupos como narcóticos anônimos ou alcoólicos anônimos (é bom lembrar que o álcool e o fumo estão incluídos na categoria de drogas depressoras). Esse número refere-se apenas àqueles que buscam esse tipo de apoio, mas há ainda os dependentes que não procuram nenhum tipo de ajuda e aqueles que participam de outras formas de tratamento. Semana passada foi realizada a 6ª Semana Nacional Anti-drogas. Para comemorar o fim da campanha em Sergipe, 116kg de maconha e 600g de cocaína foram incinerados pela Polícia Federal – PF – no forno da Indústria e Comércio Saponálio. Parece pouco, mas não é. Com apenas 2g, pode-se confeccionar um cigarro de maconha. Com a quantidade apreendida, cerca de 58 mil cigarros (ou “baseados”) poderiam ser distribuídos pela cidade. O valor de 116kg refere-se apenas a parte das apreensões realizadas no ano passado. Só este ano, estima-se que já haja mais de 50kg da droga no depósito da PF. O delegado Luiz Roberto Freitas da Silva, chefe da assessoria de comunicação da polícia, informou que a maior parte da droga entra no Estado a partir de Pernambuco. Esses são apenas dados relativos à maconha, mas existem diversos tipos de drogas que afetam o organismo de diferentes maneiras. Ações em Sergipe Legalizar ou não legalizar?

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais