Viaduto custou R$ 21 milhões – Ivan Valença

0

Foto: Alejandro Zambrana (PMA)
O Viaduto Carvalho Déda, também conhecido por Viaduto do DIA (Distrito Industrial de Aracaju) naturalmente recebeu apelidos durante todo este tempo mas nenhum pegou. Tem o formato de um caranguejo e o deputado Augusto Bezerra só o chama de “zambetão”. Será que ele o chamaria assim se tivesse sido construído pelo ex-governador João Alves Filho?

Picuinhas à parte, o viaduto foi construído ao custo de 21 milhões, 250 mil, 336 reais e 52 centavos sendo que a participação do governo federal foi de R$ 8 milhões, 531 mil, 250 reais. A Prefeitura entrou, de receita própria, com 12 milhões, 719 mil, 086 reais e 52, sendo que foram investidos 998 mil, 775 reais e 98 centavos na drenaqgem pluvial e 409 mil, 516 reais e 16 centavos no paisagismo, já incluído no orçamento geral.

O viaduto tem 347,50m e altura máxima no vão central de 6,50m. Foram exigidos 76 pilares. A ciclovia no vão central tem 3,05m de largura. As pistas do viaduto medem 7,00, 8,00 e 10,00m. A iluminação exigiu 72 postes, 80 refletores, 48 projetores. Tudo isso, aliás, foi testado ante-ontem a noite. Tudo em ordem, tudo perfeito para a inauguração de hoje. 
 

Homenagem a ex-deputado e jornalista

A denominação Carvalho Déda é uma homenagem que se presta ao ex-deputado José de Carvalho Deda, ex-prefeito de Simão Dias, vereador naquele município, jornalista e por três vezes deputado á Assembléia Legislativa de Sergipe (1947-1950; 1951-1954 e 1955-1958). Foi líder do governo Leandro Maciel e escreveu o esboço do Regimento Interno da Assembléia Legislativa.

Escreveu pelo menos dois livros: “Simão Dias, Fragmentos de Sua História” e “Brefaias e Burundangas do Folclore Sergipano”, considerado um clássico sobre o folclore de Sergipe. Carvalho Deda nasceu a 10 de dezembro de 1898, no município baiano de Patrocínio de Coité, hoje Paripiranga e mudou-se para Simão Dias ainda em tenra idade. Ele faleceu a 2 de setembro de 1968, aos 70 anos de idade.

Por Ivan Valença

Comentários