Violência contra grupos vulneráveis salta 70% durante isolamento

0
30 casos de lesão corporal dolosa foram registrados em 10 dias (Foto: Pixabay)

Enquanto o Brasil tenta lidar com a pandemia do coronavírus, cumprindo restrições, decretos e isolamento social, dentro das residências, outro problema se agrava: a violência contra grupos vulneráveis. Em Aracaju, desde que iniciado o período de isolamento, o número de denúncias na Delegacia de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV) saltou 73%. Isso inclui violência contra mulheres, crianças e população LGBT.

Conforme dados levantados pela Coordenadoria de Eatatísticas e Análise Criminal (Ceacrim), da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/SE), no período entre 21 e 30 de março de 2020, foram registradas 59 denúncias – uma média de quase 6 casos por dia. Nesse mesmo período, em 2019, foram 34 casos. Especificamente sobre violência doméstica com lesão corporal dolosa, nesse mesmo intervalo de 10 dias, houve o registro de 30 casos.

Os números acenderam o alerta das polícias para que priorizem, neste momento, os flagrantes desse tipo de ação criminosa. De acordo com a delegada Renata Aboim, do DAGV, a Delegacia tem funcionado 24h por dia e vem priorizando os casos de flagrante. “Estamos atendendo principalmente esses crimes que estão ocorrendo ou acabaram de acontecer, para que seja efetuado o flagrante. E no caso, quando há necessidade de uma medida protetiva urgente. Casos antigos, nós recomendamos que as vítimas denunciam através da delegacia virtual. Assim a gente evita aglomerações na sede do DAGV”, explica a delegada.

As vítimas de violência doméstica, quando o crime está ocorrendo, devem entrar em contato com o 190 e acionar a Polícia Militar. O Disk Denúncia 181 e a Central de Atendimento a Mulher 180 também estão abertos para denúncias de casos de violência.

Por Ícaro Novaes

Comentários