Vovó Sergipe comemora o espírito solidário com novas regras

0

“Senhora Santana, eu quero saber do dia e da hora que hei de morrer. Senhora Santana do cabelo louro livrais seus cativos da terra do mouro”. A cantiga acima, entoada nas igrejas, é em homenagem à Senhora Santana, mãe de Maria e avó de Jesus. A Senhora também é considerada protetora das avós.

 

Em agosto, mais precisamente no dia 28, um evento lembra essas mães, que muitas vezes tratam seus netos como os próprios filhos. O concurso Vovó Sergipe 2005, realizado pelo jornalista Ledinaldo Almeidha, acontece pela primeira vez, com o objetivo de fomentar a solidariedade entre essas senhoras.

 

“Nosso objetivo é despertar o reconhecimento e a gratidão. Existe, hoje, um certo reconhecimento à 3ª idade. Tem-se uma idéia de que essas pessoas são sábias e têm muito a nos oferecer e acrescentar”, explicou o produtor do evento.

 

Originalmente, o Vovó Sergipe estava previsto para ser realizado no dia 24 de julho, a partir da 16 horas, no Iate Clube de Aracaju. Depois de algumas alterações no regulamento, a data foi transferida para agosto e o período de inscrições estendido: até o dia 19/08.

 

O grande desejo de Almeidha é alimentar o desejo da sociedade de fazer o bem, uma vez que a renda do evento será doada para o asilo Same. A avó ganhadora, por sua vez, levará para casa mil reais. “Isso estimula até mesmo a família, já que essa pessoa poderá se sentir mais útil, contribuindo com a quantia para o orçamento familiar daquele mês”, fala e completa: “Tudo o que se faz pelo bem não se perde no espaço”.

 

Para participar da festa, a avó interessada deve se inscrever na loja Hortência’s Presentes. Cada mesa para quatro pessoas custa R$ 50,00. Na ocasião, a família da avó inscrita irá participar de um bate-papo com a comissão julgadora. “O júri irá de mesa em mesa bater um papo com cada avó. É importante ressaltar que o único critério de avaliação será a simpatia, não havendo desfiles”, falou Ledinaldo.

 

Além, do concurso em si, as avós poderão curtir os shows de Gilberto Lima e de Suzana Walois, além de uma tarde de lanches. Tudo isso é uma homenagem ao idoso, que “é sinônimo de sabedoria e respeito”, completou Almeidha.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais