Alunos do “Nosso Palco é a Rua” apresentam espetáculo

0

Peça inicia com coreografias
O espetáculo ‘Diário de Bordo’, dos alunos do curso técnico de teatro ministrado pelo grupo Imbuaça, será apresentado em vários pontos da cidade. A próxima apresentação acontece na segunda-feira, 18. Ontem, 13, eles se apresentaram na praça Fausto Cardoso, e como sempre reuniu diversos apreciadores e curiosos.

A peça é o trabalho final do curso de teatro ministrado aos 40 alunos que fazem parte do projeto ‘Nosso Palco é a Rua’, um dos trabalhos sóciais do Imbuaça, financiado pelo Ministério da Cultura. Este projeto tem como objetivo a inclusão destes jovens, instrumentalizando-os para que se tornem animadores culturais com vistas ao primeiro emprego.

Os alunos tiveram, durante dois anos, aulas de teatro, história e cultura sergipana, noções de patrimônio material e imaterial, além de outras atividades educativas complementares. “Este espetáculo foi idealizado e escrito por eles. Claro que Lindolfo deu uma roupagem no final, mas é todo deles. Agora, no final do curso eles receberão seus certificados”, explica o arte-educador e membro do grupo, Manoel Cerqueira.

Ao ser questionado se eles tentarão um novo patrocínio para novos cursos de teatro, Lindolfo Amaral explica que além do intuito de ajudar a estes adolescentes com técnicas para o seu primeiro emprego eles conseguiram provocar a Universidade Federal de Sergipe (UFS) para que abrissem o curso de artes cênicas.

“Agora já temos um curso nesta área e mesmo assim este projeto é muito caro. Eles receberam bolsa, material didático, fardamento, lanches. Esta é uma estrutura que o Imbuaça não tem como manter. Agora mesmo, os recursos do Ministério da Cultura (Minc) não são liberados no prazo e temos que tirar de outros projetos para pagar os professores que ganham o mínimo”, explica Amaral.

A peça

Atriz interpreta a guia turística
Para um público adulto, a peça conta a história de uma guia turística louca que leva alguns clientes para conhecer Aracaju e no enredo a questão do patrimônio material e imaterial da cidade é tocada durante vários fatos que acontece no trajeto do passeio.

O cortejo sai da praça general Valadão e faz duas paradas no percurso até a praça Fausto Cardoso, onde a peça é encenada. Estão previstas 15 apresentações, mas nem todas serão no cento da cidade, já que o grupo pretende se apresentar em alguns bairros.

Começo

Depois do projeto ter sido aprovado pelo Projeto Cultura Viva do Minc os membros do grupo Imbuaça visitaram as escolas dos bairros adjacentes e divulgou a oferta de 40 vagas para o curso técnico em teatro com duração de dois anos.

Os critérios de seleção eram a idade acima de 15 anos, estar matriculado e freqüentando a escola. “Os 40 primeiros alunos a chegar foram inscritos em duas turmas de 20, uma pela manhã e outra pela tarde. Oito deles estão no filme ‘Orquestra dos meninos’ e seis estão fazendo o ‘Natal da Floresta dos Ursinhos’, peça que está sendo apresentada no shopping Riomar. São oportunidades que eles tiveram de atuar como profissionais, com cachê e todo o compromisso”, diz Manoel.

Peça reúne diversos admiradores na praça Fausto Cardoso
De acordo com ele, alguns dos alunos querem ser atores e quatro deles prestaram vestibular para artes cênicas na UFS. E destes alunos já saíram dois novos grupos de teatros. “Tem muita gente boa nestas turmas. E nós incentivamos para que eles façam os seus próprios grupos lembrando que o Imbuaça nasceu assim”, comenta.

“Recebemos quatro computadores, uma filmadora, uma ilhazinha de edição do Minc e nós disponibilizamos o material para que eles aprendam”, comenta Manoel Cerqueira, acrescentando que eles também acompanharam o Imbuaça a muitos espetáculos e ajudam na montagem de cenários, figurinos e contra-regra.

“Eles recebem uma bolsa de incentivo e prestam algumas horas de trabalho que contamos com os ensaios, apresentações e ajuda em dias de apresentações”, finaliza.

Por Raquel Almeida

Comentários