Biblioteca Epifânio Dória se tornará mais moderna e acessível

0
A reforma está acontecendo (Foto: Jorge Henrique/ASN)

Espaço de disseminação das artes e da democratização do conhecimento, a Biblioteca Pública Epifânio Dória (BPED), está passando por uma importante reforma para torná-la um local ainda mais moderno e dinâmico de convergência cultural do que a sociedade produz e consome. Atualmente, a biblioteca abriga grandes acervos de escritores sergipanos, com um espaço de convivência, interação social e cultural da sociedade.

Para continuar sendo um ambiente de referência para formação de leitores sergipanos, a reforma está sendo viabilizada através do Protocolo de Intenções firmado entre o governo do Estado, através da Secretaria da Cultura, e a Celse, com vigência de cinco anos. Por meio do  Protocolo, as partes firmaram parceria para a preservação do patrimônio cultural e histórico de espaços públicos que integram o meio ambiente cultural de Sergipe. Um investimento de cerca de R$ 15 milhões, que também contempla a reforma do Teatro Tobias Barreto e do Arquivo Público de Sergipe. A previsão de conclusão das obras da Biblioteca Pública Epifânio Dória é para o final do semestre.

Para a diretora da Biblioteca Pública, Juciene Maria Santos de Jesus, a reforma tem o objetivo facilitar o acesso do público, no cumprimento do seu papel social. “A Biblioteca é onde está guardada grande parte da história cultural de Sergipe. Aqui, passaram grande estudantes, grandes médicos, grandes profissionais. Então, para melhorar a convivência do povo de Aracaju, de Sergipe, foi ofertada essa reforma para que melhore tanto o aspecto estrutural, como cultural. Além disso, nós queremos inovar, promover ações de melhoria dos serviços. E ainda, por se tratar de um prédio com uma arquitetura linda e histórica, vamos melhorar, já que faz parte da paisagem urbana”, explicou.

A obra compreende a reforma de todo o prédio, assim como também do anexo, onde fica a Biblioteca Infantil.   Pela obra, o carpete da sala de apresentações será trocado e a sala de leitura receberá uma atenção especial para proporcionar melhor acolhimento aos leitores e estudantes. Será feito a reorganização do acervo, assim como a implantação do sistema de refrigeração em todo o prédio, com modernização das salas e  instalação de laboratórios de informática e digitalização.

Segundo o engenheiro civil Alexandro Azevedo, a obra está dentro do cronograma, com previsão de entrega para o mês de dezembro. “A obra consiste na reforma do prédio e nas adequações à acessibilidade. Como o prédio foi construído em 1974, naquela época, não houve a preocupação em relação à esta questão. Por isso, a gente está fazendo toda a parte de acessibilidade dos banheiros e piso táctil. Vamos  melhorar os elevadores e refazer toda a parte de pintura interna e externa. Nossa maior dificuldade é manter a originalidade do prédio, pois como a maior parte é composta por concreto aparente, traz uma complexidade para manter as características originais. Além disso, temos que a realizar a obra, movendo o vasto acervo da biblioteca,  o que requer toda um cuidado e atenção”,  explicou o engenheiro civil.

Modernização

Ainda de acordo a diretora Juciene Maria, a reforma possibilitará um prédio moderno e acessível a todos os públicos.  “A gente recebe leitores do Brasil e até de outros países que vêm pesquisar sobre os escritores sergipanos. Sendo assim, nós temos um projeto de áudio-livro, que gente pretende transformar os livros impressos em áudios, onde as pessoas terão acesso em casa, no ônibus, em qualquer local que ele esteja. A gente vai convidar autores sergipanos para emprestarem as suas vozes para esse projeto. Além disso, vamos digitalizar parte do nosso acervo. Inclusive, nós solicitamos esse laboratório de digitalização a Celse, a empresa que vai fornecer todas as condições para realizarmos esse trabalho. A ideia é que esse material seja disponibilizado aos usuários através da internet. Estamos com projetos excelentes e inovadores que vão possibilitar ainda mais a democratização do conhecimento.  Projetos de formação do cidadão que que a gente pretende expandir e levar até as comunidades. A gente pretende ampliar ainda mais porque a biblioteca estará mais modernizada e com salas especificas para isso”, ressaltou Juciene Maria.

Gilvan José da Silva Filho, coordenador de projetos da Biblioteca, acredita que a reforma vai dinamizar e oferecer novos serviços à população.  “É de extrema importância, primeiramente com relação à estrutura que estava deteriorada pelo tempo. Com a reforma, vamos dar andamento a alguns projetos que a gente tinha no papel, com realocação de algumas salas para poder criar os laboratórios de informática e de multimídia. Acredito que apesar dos leitores adorarem o espaço da biblioteca, eles terão, com a reforma, mais conforto e se sentirão  mais estimulados a procurarem o espaço”, destacou.

Para o professor e pesquisador Wagner Lemos, frequentador assíduo do espaço, “a reforma significa um marco histórico em Sergipe. Afinal de contas, a biblioteca é um celeiro de informação, um acervo a ser preservado e pesquisado, além de ser imprescindível ser adaptado aos novos tempos. Ela preserva desde obras raras do século XX VII e XVIII, um dos acervos de um dos principais sergipanos, que é a biblioteca pessoal do escritor Sílvio Romero, além do material pessoal de Gumercindo Bessa. Então, essa reforma veio na hora certa. Ela é muito importante e o governo do Estado está de parabéns de pela iniciativa”, elogiou o pesquisador.

Sobre a BPED

Criada pela Lei 233, de 16 de junho de 1848, a Biblioteca Pública ocupou inicialmente uma sala do Convento São Francisco, na então capital da Província, a cidade de São Cristóvão. Com a mudança da capital, foi transferida para Aracaju ocupando o atual prédio da Câmara Municipal, na Praça Olímpio Campos. Em 1970 recebeu o nome de Epifânio Dória, intelectual que dirigiu a Biblioteca durante 29 anos. Quatro anos depois, mudou-se para o edifício na Rua Dr. Leonardo Leite, construído na gestão do governador João Andrade Garcez, onde funciona até os dias atuais.

Fonte: ASN

Comentários