Brincadeira de poema-borboletra – por Gustavo Aragão

0

                                                   Ao poetamigo-ministro Carlos Ayres Britto

 

Brinca o luar; poema-borboletra,

Vestido de um sol cor de sorriso matinal

Da cabeça até a alma nas folhas,

Onde o conflituoso mundo se cristaliza e grita.

 

Risca a minha noite e a noite do mundo

Feito um vaga-lume, iluminando-as.

Faz-me acordar e presenteia-me

Com um lindo ramalhete de palavras e pensamentos-rosa.  

Por Gustavo Aragão Cardoso

 

* Todos os direitos estão reservados ao autor perante a Lei de Direitos Autorais.

 

 

Comentários