Informática para todos no Natal da Cidadania

0

De boca aberta, Rafael luta para segurar o mouse que não cabe na sua mão direita. Sentado na cadeira, suas pernas mal tocam o chão e ao olhar para a tela do computador, ele precisa levantar a cabeça. Mesmo com todo esse esforço, ele não quer saber de outra coisa. Aos três anos de idade, ele gosta de se divertir com as cores e rabiscos do Paintbrush, um programa de pintura e desenho que já vem incluído no Windows. Esse esforço foi o que o menino mais gostou de fazer ao visitar o stand que o CDI Sergipe montou no Natal da Cidadania, evento promovido pelo Banese durante o último fim-de-semana no Centro de Interesses Comunitários – CIC. Nele, dois computadores foram colocados à disposição das pessoas que foram assistir às apresentações artísticas preparadas pelas 47 entidades participantes e por convidados como Sergival, Paulo Lobo, o Grupo Imbuaça e as bandas Lacertae e Água Viva. No alto do stand, uma faixa azul e branca usava uma frase de Fernando Pessoa para bradar um dos objetivos do CDI: “Navegar é preciso: Internet para todos!”. A faixa fez com que o outro aparelho, conectado à rede mundial de computadores, fosse muito visado por muitos garotos, que se interessavam em acessar os sítios de jogos gratuitos. Alguns já demonstravam habilidade nos micros, enquanto outros ainda não estavam íntimos do teclado e do mouse. Chegou a ser estipulado um tempo máximo de dez minutos para cada pessoa. A regra foi cumprida, sob o clima de brincadeira. Como guardiã do pequeno Rafael e da amiguinha Gabriela, de quatro anos, a estudante Fernanda Thais Rodrigues serviu também de instrutora. Aos 13, ela atua desde os oito como voluntária do Instituto de Cultura Espírita, um dos parceiros do Projeto Banese Cidadania. “Ensino as crianças do Maternal e também trabalho com computadores. Acho isso legal, pois ajuda a desenvolver a mente e o raciocínio delas. Elas ficam mais espertas, atentas”, afirmou, atenta à algazarra dos pequenos. Alguns trabalhos desenvolvidos nas 20 EIC’s do CDI em Sergipe foram expostos por meio de cartazes e folderes. Representantes de algumas unidades se juntaram aos diretores e voluntários da ONG para ajudar na divulgação dos trabalhos do Comitê. Foi o caso de Erick Franz de Oliveira, coordenador da EIC Marcos Freire II. A partir das aulas e trabalhos, a unidade desenvolveu um serviço de telemensagens que pode ser utilizado a partir de cartões pré-pagos. Projeto ampliado – A coordenadora geral do Natal da Cidadania, Ana Lúcia Lima Fernandes, considerou como “valiosa” a participação do CDI Sergipe no evento: “Ele já é um parceiro antigo do Banese Cidadania, pois ambos trabalham com a educação e a valorização da cidadania. Temos os mesmos propósitos de democratizar a informática. A nossa intenção é de que essa parceria com o CDI seja intensificada”. O engajamento das entidades participantes foi um aspecto destacado por Ana Lúcia, ao fazer uma avaliação geral do evento. “Houve um envolvimento muito bom das instituições, que capricharam na apresentação dos stands. Os voluntários também estavam bem engajados. No geral, o evento foi muito positivo”, analisou ela, que só não se entusiasmou com a freqüência do público ao pavilhão do Centro de Convenções: “A nossa expectativa era a de que houvesse um número maior de visitantes”. Por Gabriel Damásio Saiba mais sobre a entidade no site da CDI Sergipe Mais notícias da área no canal INFORMÁTICA SERGIPE

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais