Livro e DVD sobre Clemilda Ferreira serão lançados no Museu da Gente

0
(Arte: Divulgação)

No próximo dia 25, quinta-feira, a partir das 16h30, acontecerá no Museu da Gente Sergipana o lançamento do livro ‘Histórias de Dona Miúda: a Rainha do Forró’, do jornalista Carlos Leal, e o DVD ‘Morena dos Olhos Pretos’, do cineasta Isaac Dourado. Os dois trabalhos tem a cantora, compositora e apresentadora Clemilda como personagem central.

‘Histórias de Dona Miúda: a rainha do forró’, que tem ilustrações da artista plástica sergipana Ana Denise e prefácio da escritora Mabel Velloso, é um livro infanto-juvenil que o jornalista, escritor e produtor cultura baiano Carlos Leal escreveu a partir da pesquisa que vem fazendo para um livro biográfico sobre a cantora Clemilda. ”Trata-se de uma artista com uma história muito rica e pouco conhecida do público. Muitos a conhecem pelas músicas de duplo sentido, mas Clemilda foi uma artista que gravou xotes, xaxados, sambas juninos, reisados, foi a primeira mulher a gravar um aboio e, claro, uma mulher que ousou cantar a música de duplo sentido em um universo quase que totalmente masculino”, conta Carlos.

Lançado em 2016 e já exibido em festivais de cinema e em cidades como São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Recife (PE), Aracaju (SE) e Lisboa (PT), o documentário ‘Morena dos Olhos Pretos’, do cineasta Isaac Dourado será lançado no formato físico. O filme narra a história de Clemilda e conta com depoimentos de artistas como Sandro Becker, Alcymar Monteiro, Genival Lacerda, Anastácia, Amorosa e Robertinho dos Oito Baixos, filho da artista. “Fazer esse filme foi muito especial para mim, pois não só pesquisei e busquei depoimentos, como também pude acompanhar a artista nos seus últimos anos de vida. Apesar de ter sido lançado em 2016, somente agora estamos disponibilizando o documentário no formato físico”, conta o cineasta.

Clemilda

Clemilda Ferreira da Silva nasceu na cidade de São José da Lage (AL) em 1936, mudou para o Rio de Janeiro no final dos anos 1950, começando a carreira na década seguinte ao fazer um teste no Programa Crepúsculo Sertanejo, apresentado por Raymundo Nobre de Almeida no Auditório da Rádio Mayrink Veiga. Casou com o sanfoneiro Gerson Filho com quem anos depois radicou-se em Aracaju (SE). Apesar de uma vasta discografia, somente nos anos 80 a cantora atingiu sucesso nacional com a música ‘Prenda o Tadeu’ (Antônio Sima/Clemilda). Participou dos principais programas de TV da época, a exemplo de Domingão do Faustão, Hebe Camargo, Xou da Xuxa, Os Trapalhões e Domingo Legal. Clemilda faleceu dia 26 de novembro de 2014 em Aracaju.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais