Ministério da Cultura autoriza captação de recursos para o Fasc

0

O Ministério da Cultura autorizou a Fundação de Apoio à Pesquisa e à Extensão de Sergipe (Fapese) a captar até R$ 760 mil para a realização do Festival der Arte de São Cristóvão (Fasc). O orçamento foi autorizado pela Lei Rouanet, que prevê o abatimento no Imposto de Renda dos recursos doados por empresas no incentivo à cultura. Na avaliação daqueles que pretendem organizar o evento, agora é preciso apostar na sensibilidade do empresariado para que o aconteça.
“A autorização para a captação é um passo importante, mas é bom que fique claro que esse dinheiro ainda não existe e que esperamos que os empresários se manifestem no sentido de contribuírem para que o FASC volte a ser uma realidade”, comentou o pró-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários da Universidade Federal de Sergipe, professor Rui Belém, acrescentando que “agora começa uma nova etapa dessa luta”.

O prefeito de São Cristóvão, a quarta cidade mais antiga do Brasil, Zezinho da Everest (PTB), que nos últimos meses vem fazendo intensas peregrinações junto aos Ministérios da Cultura e do Turismo, em Brasília, disse apostar no espírito empreendedor do empresariado, que contará com a vantagem de abater os recursos investidos no Imposto de Renda. “Ainda não dispomos dos recursos, mas vamos trabalhar para consegui-lo”, comentou.

O presidente da Fapese, Roberto Lima, comentou ontem que “agora é a hora dos promotores do evento entrarem em campo para conseguir os recursos. Eles terão que captar as verbas necessárias para a realização do FASC e, para isso, será preciso mostrar com competência os benefícios da Lei Rouanet”, explicou.

Comentários