Orquestra Jovem segue com atividade online durante isolamento social

0
Orquestra Jovem (Foto: divulgação)

A Orquestra Jovem de Sergipe, projeto realizado pelo Instituto Banese e Governo do Estado, continua com suas atividades nesse período de quarentena, mas de uma forma diferenciada. Atendendo aos decretos de isolamento social em combate à disseminação do Covid-19, as atividades presenciais foram suspensas, mas a troca de conhecimentos entre os alunos, professores e o público não poderia parar. Por conta disso, a rotina de estudos e algumas apresentações acontecem de forma online com cada um em sua casa.

Após analisar métodos que viabilizassem a participação de todos os alunos, a equipe adotou plataformas digitais que melhor se adaptam às diversas realidades e que proporcionam um nível adequado de aprendizagem em música. Dessa forma, as mais de 150 crianças, adolescentes e jovens dos sete naipes (canto coral, violino, violoncelo, viola, contrabaixo, percussão e flautas) continuam com a rotina de aulas teóricas e práticas.

Quanto ao contato com o público, ao longo dos anos a Orquestra Jovem tem intensificado sua rotina de apresentações e alcançado plateias diversificadas. E nesse momento de isolamento social, as redes sociais têm sido o canal mais importante para manter esse contato. Em seus perfis oficiais, o público acompanha a nova rotina do projeto e usufrui de belas canções executadas pelos alunos e que já fazem parte do repertório da orquestra. Essas apresentações foram cuidadosamente transformadas em uma série especial de vídeos, que comprova que não há limites para a aprendizagem nem para a arte.

De acordo com o maestro Márcio Bonifácio, a implementação exigiu muitos esforços, mas a vontade de aprender prevaleceu. ?Encontramos algumas barreiras para implementar o novo modelo de ensino, mas após esse primeiro momento, diversas formas de trabalho e adaptações têm nos ajudado a seguir com o projeto. Nossos alunos seguem suas rotinas de aulas, tocam seus instrumentos e evoluem ao longo dos dias. E como resultado, estamos com produtos interessantes, a exemplo de peças gravadas da casa de cada um. Está sendo um momento de muito crescimento para todos nós?, comemora Márcio.

Para a aluna de violoncelo, Thainná Melo, a continuidade do projeto mesmo à distância ajuda a mantê-la a conectada com a música e a passar por esse momento com mais tranquilidade. ?As aulas online tem sido uma forma de me manter conectada com a música e com o projeto durante este período. Apesar de estar estudando, acaba que se torna um momento de distração e o tempo passa mais rápido, além de praticar a minha técnica. Tenho conseguido fazer um plano, de acordo com o que o professor apresentou na aula, determinando quantas horas preciso estudar diariamente. E observei que por estar em casa mais tempo, acabo estudando ainda mais?, afirma.

As atividades continuarão sendo realizadas de forma online até que novos decretos governamentais liberem as atividades presenciais nas instituições de ensino. Enquanto isso, a Orquestra Jovem permanece produzindo conhecimentos, e formando futuros profissionais da música, cada um de sua casa, em segurança e contribuindo com o combate ao coronavírus. Acompanhe o projeto através das redes sociais Instagram, Facebook e Youtube: Orquestra Jovem de Sergipe.

O Instituto Banese é uma associação mantida pelo Banco do Estado de Sergipe e por suas empresas relacionadas: Sergipe Administradora de Cartões e Serviços Ltda (SEAC), empresa que administra o cartão de crédito Banese Card e a rede de adquirência TKS, e Banese Corretora e Administradora de Seguros.

Orquestra Jovem de Sergipe

A Orquestra Jovem de Sergipe é um projeto realizado pelo Instituto Banese e Governo de Sergipe, com o patrocínio das empresas ENERGISA e Thyssenkrupp Elevadores, através da Lei de Incentivo à Cultura, com recurso de fomento do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, e com o apoio do Instituto Marcelo Déda, da Prefeitura Municipal de Aracaju e do Instituto Rahamim.

O projeto proporciona a mais de 150 crianças e adolescentes dos bairros Santa Maria e 17 de Março a iniciação e o aprimoramento musical por meio do estudo de instrumentos de corda, percussão, sopro e canto coral. A iniciativa contempla aulas individuais e em grupo, de segunda a sexta-feira, e ensaios aos sábados, no Espaço Cuidar, no CRAS e no Instituto Rahamim, no bairro Santa Maria.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Comentários