“Vidas do Barro” retrata cotidiano de artesões ribeirinhos

0

‘Vidas do Barro’, esse é o tema da exposição do fotógrafo José Aquino, que será aberta hoje, 30, às 20h, na Galeria de Artes Álvaro Santos. O trabalho realizado por Aquino durante suas idas à cidade de Carrapicho, resultou numa mostra de 30 fotografia (30×45) e um grande painel, que poderá ser apreciado até dia 27 de fevereiro.

As imagens foram produzidas tendo como foco principal o cotidiano e os trabalhos dos artesões daquela região, “onde criador e criatura se confundem,” explica o fotógrafo que realizou inúmeras viagens a Santana do São Francisco, mais conhecida como Carrapicho. Durante quatro anos Aquino fez inúmeras viagens ao baixo São Francisco para registrar o dia-a-dia dos artesões do barro, que possuem o título de maiores produtores de artesanato em argila do Estado.

O fotógrafo confessa que os moradores de Carrapicho, tema central do seu trabalho,  foram bastante receptivos, “acredito que eles têm esperança que alguém possa ajudar a divulgar o trabalho deles”. Para retribuir a simpatia e afeição com a qual foi recebido, terminado seu trabalho ele retornou ao município e num antigo cinema projetou as imagens capturadas para a população local e distribuiu as fotos para os moradores.

“O mais importante é o sorriso delas e ver que ficam felizes em receber uma foto. A alegria deles em se reconhecer e reconhecer os outros contagia a gente”, ressalta o fotógrafo. 

Foto x exposição

No ramo da fotografia há mais de dez anos, o fotógrafo já realizou diversas exposições entre elas, ‘Meninos’, ‘Velho Chico – Rio da Gente’ e ‘Caboclinhos e Lambe Sujo’. Ele confessa que esses temas relacionados ao universo do povo é o que mais lhe agrada, “gosto desses temas humanos, pois é também uma maneira de divulgar a nossa terra. Além disso, tento trazer idéias novas, ou mesmo com um ângulo diferente, para atrair a atenção das pessoas. A fotografia permite isso”.

Para aproximar o público do cotidiano e da vida das pessoas fotografadas, Aquino resolveu unir textos às imagens que compõem ‘Vidas de Barro’. Para tanto convidou a historiadora Lorena Campello.

Cada fotografia será acompanhada de trechos dos depoimentos  colhidos dos personagens registrados pelas lentes do fotógrafo. “Os depoimentos é parte que considero mais importante, pois mostra a visão do lugar através do olhar deles. Não achei que seria legal observar, interpretar e emitir valores sobre a vida deles”, explica Lorena. 

A narrativa em imagens e textos contarão histórias dos artesões e a relação com o barro, com o rio, a questão ambiental, entre outros temas que convidam a conhecer a vida e o dia-a-dia de quem tira os sustento do barro e carrega consigo a tradição ribeirinha. Os interessados poderão conferir a exposição até o dia 27 de fevereiro, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, e aos sábados das 9h às 13h.

Confira o vídeo de Pascoal Maynard com as imagens da exposição “Vidas do Barro”





Comentários