A arte de usar celular no interior de Sergipe

0

Valdilena exibe celular sem serviço
Enquanto a discussão envolvendo a portabilidade numérica ganha espaço na sociedade, um terço das 75 cidades que compõem o Estado sergipano sequer possuem cobertura de telefonia móvel, segundo dados disponibilizados pelas quatro operadoras que atuam em Sergipe. Nesses municípios, quem precisa utilizar o celular tem que recorrer ao esforço físico aliado a uma dose de criatividade.

 

Na trave…

 

Em Canhoba, por exemplo, fazer ou receber chamadas pelo aparelho requer uma boa caminhada, principalmente quando não se mora próximo ao campinho de futebol da cidade que fica a 124 km de Aracaju. “Tem vezes que num dia de domingo fica um monte de gente aqui conversando no celular”, disse o balconista João Santos.

 

Usuário sobe na trave em Canhoba
O lugar pode até ser privilegiado, mas às vezes é preciso um pouco de paciência para completar a ligação. E mesmo em casos nos quais o telefone não funciona de forma alguma, há uma saída. “A gente sobe na trave”, falou o morador.

 

…na figueira…

 

Na pequena Nossa Srª de Lourdes, situada na região do Baixo São Francisco, os seis mil habitantes já contam até com uma recém inaugurada lanhouse na praça da cidade. O curioso é que lá, a internet chegou antes do telefone celular. “Aqui é horrível, quando quero falar com meus parentes que moram em Aracaju, preciso subir naquela figueira”, contou a dona de casa Valdilena, apontando para a árvore.  

 

Dona Laura diz subir na laje para falar com filhos que moram em Aracaju e SP
É por isso que sortudos são aqueles que têm casa lajeada em Lourdes. Ou aqueles que têm amigos com casa lajeada, como a aposentada Laura Alves, de 85 anos. Ela conta que alguns filhos vivem em São Paulo, e que não tem condições de pagar a assinatura de um telefone fixo. “Meus filhos me deram o celular, aí eu converso todo domingo na laje de uma amiga minha”, disse.

 

…ou na beira do rio

 

A dificuldade se repete em Brejo Grande, onde o sinal só é eficiente na beira do Velho Chico, em Gararu, Santa Rosa de Lima e outros 21 municípios sergipanos. Os dados oficiais das operadoras Vivo, Claro, Oi e Tim revelam que apenas 27 cidades

100% de cobertura nacional deve ocorrer até 2010, diz Anatel
do Estado possuem cobertura das quatro empresas telefônicas.

 

De acordo com o gerente interino da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em Sergipe, Lucirino Fernandes, em alguns lugares onde não há cobertura de nenhuma operadora, o sinal pode aparecer relativamente bom, propagado pela antena de cidades vizinhas, como acontece em Pedra Mole.

 

A Anatel prevê que a telefonia móvel chegue a 100% do território nacional em 2010. Enquanto o prazo não chega, o celular vai servindo para outras coisas nessas localidades. “Minha filha tira muita foto com ele [o celular]. Já tem bem umas 100”, disse Valdilena.

 

Por Glauco Vinícius e Raquel Almeida

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais