Frango, porco e ovos ficarão mais caros; opção é pesquisar preços

0
Carne de frango, porco e ovos ficarão mais caros (Foto: Freepik)

As despesas com alimentação deverão continuar pesando no bolso do consumidor. É que além da carne bovina, cujo preço continua subindo, também haverá reajuste nos valores da carne da frango, carne de porco e até ovos.

Esses produtos, conforme o economista Fernando Carvalho, podem ficar até 50% mais caros. Cada região apresenta seus custos, porém, conforme estimativa da Associação de Produtores, haverá um reajuste em torno de 50% a mais na média para cada um desses itens”, explica.

A mudança nos valores, segundo o economista, está relacionada ao aumento dos cursos de produção e também à queda na produção, principalmente no centro-oeste, da chamada entressafra, que é período que contempla o fim da colheita (pós-colheita) até o início do novo plantio.

“Temos a ideia que o agronegócio será afetado somente pelas condições climáticas, ou seja, se o clima for favorável, teremos uma excelente safra e com o excesso de oferta de grãos, que compõe em grande medida a ração animal, teremos também baixa nos preços de carnes e seus derivados”, explica. “Mas, o agronegócio hoje está dentro de uma cadeia de produção complexa, que deve-se levar em consideração os custos de acesso à crédito, transporte, energia, mercado externo, tributação, mão-de-obra e demais fatores que compõem o preço final desses produtos”, completa.

Economista Fernando Carvalho (Foto: Arquivo Pessoal de Fernando Carvalho)

De acordo com Fernando Carvalho, outros dois fatores explicam o reajuste: o índice de custo de produção (ICP) e o aumento no preço dos combustíveis. “Para o cenário desse provável aumento de mais de 50%, os produtores alegam que o ICP teve aumento considerável nos últimos 12 meses e, como principais fatores, o aumento dos preços do farelo de soja e milho. “Há também os aumentos dos preços de combustível. Temos hoje uma agropecuária quase que completamente mecanizada e que depende bastante de combustível e energia”, detalha.

Alternativas para economizar

O economista orienta que para economizar, o consumidor precisa pesquisar. “Claro que isso vai depender de família para família e de sua renda. Mas o ideal é fazer pesquisa de preços nos supermercados e frigoríficos. No caso da carne vermelha, a alternativa seria substituir pelo frango, ovos e carne suína. Mas com praticamente todos os itens da cesta básica subindo, essa vai ser uma escolha difícil”, finaliza.

Por Isabella Vieira e Verlane Estácio

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais