Bancários temem que fechamento de agências do BB afete economia em SE

0
Uma das agências que deve ser fechada é a unidade do Siqueira Campos que atende pessoas físicas (Foto: Google Maps)

Nesta quinta-feira, 21, os bancários de todo país estão mobilizados pelo dia nacional de luta contra o fechamento das agências do Banco do Brasil em todo país. Em Sergipe, a diretoria do banco anunciou o fechamento de 10 agências e a transformação de sete agências em postos de atendimento. O fechamento faz parte do plano de restruturação anunciado pelo Banco do Brasil.

De acordo com a presidente do Sindicato dos Bancários de Sergipe (SEEB), Ivânia Pereira, o fechamento das agências e a criação de postos de atendimentos afetam diretamente a qualidade do serviço e a economia local.

“A partir do momento em que as agências são transformadas em postos de atendimento, reduz a quantidade de funcionários e o porte para realização de negócios. Diminuindo funcionários, reduz a qualidade do serviço e aumenta o tempo de espera nas filas, gerando aglomeração. O fechamento das agências afeta diretamente a economia local, pois o dinheiro vai deixar de circular naquele município para circular na cidade vizinha onde tem a agência bancária”, explica.

Ivânia Pereira afirma que Sindicato dos Bancário defende a permanência das agências do Banco do Brasil nos municípios (Foto: Arquivo Portal Infonet)

O Sindicato montou uma comissão para negociar com a superintendência do banco em Sergipe, mas explica que as tratativas acontecem a nível nacional. “O Banco do Brasil ainda não se posicionou, mas estamos tentando reverter esse quadro. Estamos buscando também os meios legais para impedir o fechamento dessas agências, até porque estamos em pandemia e existe um decreto que impede medidas que gerem desemprego nesse momento”, ressalta.

Em Sergipe, ainda não aconteceram demissões e o sindicato não sabe quantas podem ocorrer. Ao todo, segundo o SEEB, o Banco do Brasil emprega cerca de 600 bancários concursados em Sergipe. O Banco anunciou que cerca de 5 mil pessoas devem ser desligadas com essa restruturação, através dos planos de incentivos voluntários de demissão.

Ivânia conta que as pessoas que não aderirem ao Programa de Desligamento Extraordinário (PDE) serão remanejadas para outras agências, segundo consta na proposta do banco. “O banco não pode demitir porque são pessoas concursadas, eles podem remanejar, mas, a questão é que nenhuma agência do Banco do Brasil tem excesso de funcionários para serem remanejados para outras agências. Isso vai gerar um impacto grande, por isso, somos contra o fechamento de qualquer agência, e estamos buscando os meios legais para impedir essa restruturação”, afirma.

Agências fechadas

De acordo com o plano de reestruturação do Banco do Brasil, as agências da cidade de Pacatuba, Monte Alegre, Porto da Folha, Nossa Senhora de Lourdes, Poço Redondo, Salgado, Tomar do Geru serão fechadas, além de duas agências em Aracaju, a unidade que fica no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) e a agência de pessoa física do bairro Siqueira Campos, e uma agência em Itabaiana.

As agências de Ribeirópolis, Aquidabã, Campo do Brito, Carira, Itaporanga D’Ajuda, São Cristóvão e Canindé do São Francisco serão transformadas em postos de atendimento.

Banco do Brasil

A assessoria de comunicação do Banco do Brasil informou que o banco fez uma avaliação  das suas unidades de negócios em relação ao desempenho financeiro de cada ponto, o potencial de negócios, o volume de utilização do ponto pelos clientes, a proximidade com outros pontos do BB e as características dos imóveis, e o resultado do estudo levou ao encerramento de pontos, mudanças de tipologia e relocalizações de agências.

As mudanças envolvem adaptações na rede de atendimento em 361 municípios. O BB afirma que  manterá sua presença em todos eles, seja com outras unidades próprias já existentes, em 221 municípios, seja com correspondentes bancários “Mais BB”, nos demais. O objetivo, segundo o banco, foi trazer mais eficiência à rede de atendimento do Banco, propiciando recursos para abertura das unidades de atendimento especializado e buscando melhorar a experiência do cliente.

As mudanças nas agências acontecem a partir do dia 22 de fevereiro. A mudança de agência é automática e os clientes não precisam fazer qualquer procedimento adicional e podem manter seus cartões e senhas para transações na nova agência, mesmo que haja alteração no número da conta.

Existem dois programas de desligamento incentivado que visam a redução de despesas e a melhoria da eficiência operacional. A adesão é voluntária e de caráter pessoal, e os incentivos variam de acordo com as condições estabelecidas por cada programa e pelas condições de cada funcionário. A estimativa do BB é que os dois programas contem com adesões total de cerca de 5 mil funcionários.

Por Karla Pinheiro

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais