BNB aponta crescimento de 8,3% para PIB nordestino em 2010

0

O Banco do Nordeste atualizou para 8,3% a projeção de crescimento para o Produto Interno Bruto (PIB) do Nordeste. A previsão é de que o acréscimo seja superior ao do Brasil, cuja evolução deve ser de 7,5% neste ano. As informações constam no Boletim Conjuntura Econômica, publicado mensalmente pelo Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), vinculado ao Banco do Nordeste, e disponível no endereço.

Essa estimativa foi ampliada em relação a setembro, quando o Banco estimou evolução de 7,2% para a região, em comparação a 2009. Para 2011 e 2012, o PIB nordestino deve ter incremento de 5,4% e 5%, respectivamente, e continuar com resultados acima dos esperados para o país. Em 2011, a previsão de expansão da economia brasileira é de 5,3% e, no ano seguinte, 4,5%.

Para o superintendente do Etene, José Narciso Sobrinho, o incremento dos investimentos no Nordeste é um dos principais fatores que têm levado a Região a crescer acima da média brasileira. “O Nordeste tem recebido importantes inversões em infraestrutura e no setor produtivo, a exemplo das refinarias, ferrovias e rodovias, transposição de bacias, os complexos portuários de Suape, Pecém e Itaqui. A expansão dos programas sociais e do salário mínimo. Dessa forma, o crescimento do Nordeste tem sido estimulado pelo mercado interno”.

Segundo o gerente da área de macroeconomia do Etene, Airton Saboya, o Ceará é um dos Estados cuja economia apresenta preponderância de indicadores com variações acima da média regional. O crescimento da indústria e o do volume de vendas do comércio varejista são alguns destes indicadores. Respectivamente, cresceram 12,9% e 16,9% no Ceará, contra 11% e 12,6% na Região.  Entre os estados do Nordeste, vale destacar o comportamento exibido pelas economias do Maranhão, Sergipe, Ceará, Paraíba e Piauí, com preponderância de indicadores com variações acima da média regional.  Por outro lado, para as economias do Rio Grande do Norte, Pernambuco, Alagoas e Bahia predominaram indicadores com variações abaixo da média nordestina.

O PIB do Brasil cresceu 8,4% de janeiro a setembro de 2010, em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo informações do IBGE utilizadas pela Instituição. Esse resultado foi influenciado pelo acréscimo de 12,3% na indústria. Os resultados dos setores da agropecuária e serviços foram de 7,8% e 5,7%, consecutivamente.

No que diz respeito à economia do país no terceiro trimestre de 2010, a expansão ficou no patamar de 6,7%, terceiro melhor resultado do mundo, abaixo de China (9,6%) e Suécia (6,8%). O Boletim do Banco do Nordeste destaca que esse desempenho foi superior, por exemplo, ao observado na União Européia (2,2%) e Estados Unidos (3,2%).

Fonte: BNB

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais