COVID-19: restaurante Padre Pedro passa a ofertar quentinhas

0
As quentinhas serão ofertadas a partir da quinta-feira, 19 (Foto: Pritty Reis)

Diante da pandemia do coronavírus declarada pela Organização Mundial de Saúde – OMS, da confirmação de casos da doença em Aracaju e seguindo as determinações do Governo de Sergipe, a Secretaria de Estado da Inclusão e Assistência Social (SEIAS) estabeleceu medidas de prevenção à transmissão comunitária do COVID-19 nos equipamentos socioassistenciais que mantém em funcionamento, com atendimento ou abrigamento da população em situação de vulnerabilidade social.

A partir desta quinta-feira, 19 de março, as refeições ofertadas pelo Restaurante Popular Padre Pedro passarão a ser entregues aos usuários em quentinhas – e não em buffet servido no local, como tradicionalmente era feito.

O Restaurante é frequentado diariamente por cerca de 2.250 pessoas para almoço e jantar, ofertados por apenas R$ 1,00, contribuindo para o acesso ao direito social à alimentação saudável, enquanto componente importante no fortalecimento do sistema imunológico do indivíduo. Diante da sua importância, para manter o serviço, que conta com alta rotatividade e boa parte do público atendido constituído por idosos [grupo de risco à contaminação e aos efeitos agravados do Corona Vírus], a SEIAS decidiu por – excepcionalmente – modificar a forma de prestação de serviço, para evitar a aglomeração e reduzir o tempo de permanência no local.

De acordo com a secretária de Estado da Inclusão Social, Lêda Lúcia Couto, também médica sanitarista e doutora em saúde coletiva, a medida foi adotada pensando na melhor forma de manter a oferta da alimentação para os usuários, mas reduzindo o risco de contágio. “Nossa preocupação se deve ao fato de sabermos como o acesso a esse alimento, no Restaurante Padre Pedro, é tão necessário para tantas pessoas vulneráveis. Muitas vezes, constitui a única refeição do usuário no dia. Então, buscamos aliar a manutenção dessa oferta à nossa responsabilidade de fazer o possível para reduzir os riscos para os nossos usuários, diante do contato com outras pessoas. O distanciamento social é, neste momento, a medida mais eficaz para evitar a disseminação do vírus, que precisa ser interrompida o quanto antes para que não venha a ocasionar o colapso na rede pública e privada de saúde”, afirmou Lêda Lúcia.

A nutricionista Tatiana Canuto, coordenadora de Segurança Alimentar e Nutricional da SEIAS, explica que, para dar maior celeridade à distribuição das quentinhas, o horário da oferta da alimentação será estendido, passando a começar às 10h (almoço) e às 16h (jantar). “Vamos começar mais cedo, para que tenhamos maior tranquilidade na fila, onde orientaremos sobre a distância de 1m entre os usuários. Eles irão pagar o valor módico de R$1,00, como sempre fizeram, e logo em seguida, já terão acesso à quentinha pronta e embalada, e com talheres descartáveis, para que possam levar e comer noutro local, evitando a aglomeração no Restaurante”, detalha.

Tatiana informa, ainda, que o cardápio será nutricionalmente reforçado, priorizando vegetais cozidos a saladas cruas, e com a inclusão de frutas inteiras, como a laranja. A equipe da coordenação de Segurança Alimentar da SEIAS irá aproveitar, também, para passar orientações aos usuários quanto às medidas de higiene e condutas sociais recomendadas neste período de máxima atenção, para evitar a transmissão do COVID-19, através da exibição de vídeos educativos no Restaurante.

Fonte: ASN

Comentários