Cúpula Mundial da Família +1 em Sergipe

0

Sergipe será a sede oficial para a Cúpula Mundial da Família +1, um evento coordenado pelo Governo do Estado, em parceria com a Organização Mundial da Família (OMF) e Nações Unidas (ONU), que tem na senadora Maria do Carmo Alves (PFL) uma incentivadora. A Cúpula acontecerá em Sergipe, no período de 4 a 8 de dezembro, por recomendação do Conselho Executivo da Organização Mundial da Família e aclamação dos Participantes, Representantes de Governos, Organizações Não-Governamentais, Universidades, Grupos Parlamentares, Representantes do Judiciário, Conselhos Sociais e Econômicos e Comunidade Empresarial, ratificada pelo Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da Organização das Nações Unidas/UNDESA – NGO Section – UN-NGO-IRENE, reunidos na cidade de Sanya, Província de Hainan, China, durante a Cúpula Mundial da Família, realizada em dezembro de 2004.

Na China, durante o referido evento, o Estado de Sergipe apresentou um dos seus projetos de maior sucesso, o “Pró-mulher…Pró-família, mais saúde mais vida”, que cuida da saúde da mulher sergipana e do homem também. O objetivo do encontro em Sergipe será discutir e aprovar o Plano de Ação Global 2005-2015, de acordo com a Declaração de Sanya. Na ocasião, serão discutidos os seguintes eixos temáticos: A Família – Papel e Funções, Família e Direitos Humanos, Família e Pobreza, Família e Educação, Família e Igualdade de Gêneros, Família e Saúde, Família e Meio Ambiente, Família e Integração e Proteção Social, Família e Tecnologia da Informação e Comunicação, e Família e Parceria para o Desenvolvimento. “O compromisso assumido pelo governador João Alves Filho possibilita que Sergipe continue contribuindo com a OMF na implementação das metas do milênio, estabelecidas pela ONU”, destacou a Senadora.

Presidida pela Dra. Deisi Noeli Weber Kusztra, a OMF, mais especificamente, dentro do programa de Celebração do Décimo Aniversário do Ano Internacional da Família, a Cúpula teve os seguintes objetivos específicos: colocar os Assuntos da Família em definitivo na Agenda Internacional; aumentar a conscientização da importância dos Assuntos da Família entre Governos Nacionais, Autoridades Locais, ONGs e Sociedade Civil Organizada, Parlamentares, Universidades, Comunidade Empresarial e as próprias Famílias, fortalecer a capacidade das Instituições Nacionais e Locais para identificar, discutir, formular, implementar e monitorar políticas direcionadas à família; aumentar a eficiência dos esforços locais, nacionais e regionais na realização de programas específicos relacionados à família, gerar novas atividades e fortalecer as já existentes; estimular parcerias público-privadas, para responder aos problemas que afetam a situação da família, e são afetados por ela, resultantes do processo de globalização; otimizar a colaboração entre todos os atores da Sociedade, organizações locais, nacionais e internacionais para apoiar as famílias; determinar meios apropriados para a implementação de ações concretas.

Entre os resultados alcançados destacam-se um melhor entendimento das Metas de Desenvolvimento do Milênio e o papel da Família em contribuir para sua implementação através de um aprimorado processo de aprendizado, diálogo e ação; uma troca de experiências entre participantes que evidenciem as lições aprendidas e as melhores práticas, que possam ser adaptadas em cada contexto nacional; um amplo consenso sobre os principais e cruciais assuntos a serem discutidos e como abordá-los; aprovação de uma Declaração, que se constituirá num documento oficial das Nações Unidas; e o processo de Follow-up até 2015 com uma conferência anual iniciando em 2005 com a tarefa principal de preparação de um Plano de Ação.

Comentários