Emsurb sorteia espaços no mercado Augusto Franco

0
Dezenas de feirantes participaram do sorteio (Fotos: Portal Infonet)

Aconteceu na manhã desta quinta-feira, 26 no novo mercado do conjunto Augusto Franco, o sorteio entre as pessoas que deverão comercializar tapiocas, carnes, aves, frutas e legumes. Os permissionários que trabalhavam no local não precisaram entrar no sorteio, mas os feirantes que comercializavam às quartas-feiras e aos domingos que quiseram se inscrever com a condição de trabalhar por sete dias, participaram. A Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), sortearam 120 vagas nas bancas e boxes.

“Os 30 permissionários que trabalhavam aqui, têm a vaga garantida.Mas as pessoas que comercializavam às quartas-feiras e aos domingos, vão participar. Por determinação do Ministério da Agricultura, tínhamos que destinar cerca de 40 vagas para a Agricultura Familiar. Para beneficiar mais feirantes, deixamos 29 e distribuímos as demais.  A feira da quarta, continuará e a do domingo será extinta, pois o mercado funcionará sete dias por semana”, explica o diretor de Espaços Públicos e Abastecimento da Emsurb, Luiz Carlos Santos, o Branca de Neve.

Branca de Neve dá início ao sorteio

De acordo com ele, a Emsurb irá melhorar a estrutura da feira da quarta, que vai continuar. “Foi formada uma comissão com a participação dos próprios feirantes para identificar quem trabalhava no local antes da reforma do mercado e os que não quiseram participar do sorteio de hoje, podem ser remanejados para a feira da Atalaia e da Zona de Expansão”, destaca acrescentando que muitos que hoje comercializam na praça participam de outras feiras, com isso não quiseram ficar apenas no mercado.

O diretor-presidente da Emsurb, Edson Leal, explicou aos participantes os critérios utilizados para os ocupantes do novo mercado. “Os permissionários terão de trabalhar no mercado durante os sete dias, participarão de cursos por meio da Vigilância Sanitária e os que estão vendendo nas feiras da quarta, vão continuar, porque a feira acontece à tarde e à noite. Mas, a feira dos domingos vai acabar, porque não tem sentido, já que o novo mercado funciona o dia inteiro. Só tenho a desejar boa sorte a todos”, ressalta.

Tensão

O primeiro quesito a ser sorteado foi o comércio de tapioca

Antes do sorteio, a preocupação e a expectativa dos feirantes. D. Maria José, vende tapioca, mingau e arroz doce no local há cerca de 20 anos. “Com fé no menino Jesus, eu vou continuar trabalhando aqui, vendendo meu mingau, tapioca e massa-puba”, afirma.

Já as  vendedoras de bijouterias, utilidades e roupas mostraram-se muito preocupadas, porque o novo mercado não tem espaço para esse tipo de produtos. “Eu vendo aqui desde quando começou o mercado velho, há 20 anos e agora disseram que não posso mais ficar. Se aqui dentro não pode, porque não liberam uma parte do estacionamento?”, indaga Rita de Cássia acrescentando que vai lutar pela permanência.

Édosn Leal fala sobre os critérios para a permissão das vendas no local

Maria José: "Com fé no Menino Jesus, vou ser sorteada"

Rita de Cássia mostra Permissão Provisória para venda de bijouterias

Joana dos Santos, exibe boletos de pagamento. Ela vende utilidades

“E eu vendo utilidades como baldes, bacias, panelas há 15 anos aqui na feira do Augusto Franco. Toda feira tem esses produtos. Eu trouxe até os carnês de pagamento, todos em dia. Não entendo porque não podemos ficar”, completa Joana dos Santos.

O argumento utilizado pela Emsurb é de que o mercado foi construído nos moldes do Albano Franco, basicamente para produtos hortifrutigranjeiros e que não tem como disponibilizar vagas para a colocação de bancas no estacionamento.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais