Fábrica de Teste de Software ampliará mercado de atuação

0

São sete pessoas trabalhando no teste de software
Sergipe possui desde agosto do ano passado uma Fábrica de Teste de Software. Esse tipo de empreendimento, que tem por objetivo lançar no mercado local uma preocupação maior com a qualidade dos produtos dessa área, surgiu há poucos anos e encontra a cada dia novos pólos. No estado, coube ao Sergipe Parque Tecnológico (SergipeTec) sediar a primeira empresa de tal porte, suprindo, a priori, uma demanda interna.

De acordo com a gerente Érica Aguiar, a atuação da Fábrica é semelhante a de uma empresa terceirizada. Isso porque dentro do processo de desenvolvimento de software, a fase de testes é a etapa mais cara. Apenas grandes corporações possuem estrutura e capital para tal serviço. “Há algum tempo essa era uma área pouco difundida. Antes os testes eram feitos pelos próprios desenvolvedores e o cliente, ao fazer uso, é quem apontava os erros”, explica.

Essa necessidade surgiu, acrescenta Érica, numa preocupação que aflige o empresário de qualquer setor: a qualidade dos produtos. “Com o avanço da tecnologia e a competitividade, esse fator tornou-se um aspecto fundamental”, ressalta. Os primeiros trabalhos da Fábrica de Testes de Software do SergipeTec foram as empresas sediadas no pólo tecnológico.

Érica disse que SergipeTec se antecipa ao mercado com a Fábrica de Testes

Em 2010, a intenção é oferecer o serviço a clientes externos, também com o propósito de suprir uma necessidade existente.

Assim serão dois modos de funcionamento: o primeiro quando o software vai ser testado na sede da Fábrica. Para garantir a confidencialidade e segurança dos trabalhos, a sala tem a entrada restrita à equipe de sete profissionais que atuam no serviço; a segunda, em fase de implantação, é realizar os testes onde ele é fabricado.

“Nisso, entretanto, há uma série de variáveis a serem consideradas, que vão desde a própria comodidade do cliente, que pode preferir que o teste do seu produto seja realizado onde ele é produzido, ou no caso do ambiente do fabricante não puder ser reproduzido na Fábrica”, explica Érica.

A gerente ressalta o quanto é positivo para Sergipe ter uma empresa desse tipo, principalmente no tocante a provocar mudanças na cultura das empresas de tecnologia. “Em outros Estados as Fábricas de Testes foram implantadas após os Parques Tecnológicos estarem em um estágio avançado. Nosso mercado não está ainda tão maduro, mas não podemos esperar o mercado pedir. É uma visão de futuro, principalmente para o Estado”, destaca.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais