Fontes defende fechamento de ponte na próxima quinta

0

O deputado federal João Fontes, sem partido, deverá participar da audiência pública, que discutirá o projeto de transposição das águas do rio São Francisco para o Nordeste Setentrional, na próxima quinta-feira, 14, em Propriá. Em seguida, haverá o fechamento da ponte sobre a BR-101, na divisa entre Sergipe a Alagoas. A audiência é promovida pelo Comitê Hidrográfico da Bacia do São Francisco (CHBSF) e será realizada no ginásio de esportes da cidade. De lá, por volta das 13h, os participantes sairão em marcha até a ponte, onde acontece o protesto.
Na opinião do parlamentar, esse é um dia extremamente importante para que a população, não só de Sergipe, mas de Alagoas, que também participará do ato, mostre sua indignação com o projeto do governo federal de transposição das águas do rio. “Antes, se dizia no governo FHC que a transposição era apenas para levar água para o consumo humano e animal. Só que esse do governo Lula é muito mais amplo, destinando 127 mil metros cúbicos para irrigação. Praticamente um terço das águas vão ser transpostas indo até o Ceará, que já tem 17 bilhões de litros de água armazenados. É um projeto muito mais ousado e nocivo ao São Francisco”, alerta Fontes.
Ele também critica a forma como o governo federal vem tratando o assunto, principalmente em desrespeito às deliberações do Comitê. “Enquanto já existem R$ 1 bilhão assegurados para a transposição, não há nenhum projeto claro e recursos carimbados para revitalizar o rio”, denuncia.
Na sua opinião, é importante também que a classe política, principalmente dos Estados de Sergipe, Alagoas e Bahia, esteja unida e organizada para barrar o projeto da forma como ele está. “Eu espero que aqui em Sergipe o governador João Alves, que sempre foi um lutador contra a transposição, não venha dizer agora que o projeto é outro, pois o ministro Ciro Gomes tem chamado alguns governadores para negociar áreas irrigadas pelo projeto. É preciso que ele também reaja porque essa é uma causa suprapartidária de vida e soberania do nosso rio São Francisco”, reivindica João Fontes.

Comentários