Lucro do Banese praticamente duplica no 1º semestre

0

Saumíneo: entusiasmo e otimismo com desempenho do Banese (Fotos: Portal Infonet)

Em entrevista coletiva realizada nesta quarta-feira, 31, o presidente do Banco do Estado de Sergipe (Banese), Saumíneo Nascimento, apresentou dados referentes ao desempenho da instituição no primeiro semestre deste ano, que culminou com um crescimento impressionante na lucratividade, que quase duplicou, se comparado com o mesmo período do ano passado. O que credita ao Banese, segundo o presidente, a performance de estar entre os 50 principais bancos do país, onde há um exército de 179 instituições do segmento em atividade.

De acordo com Saumíneo, o lucro do Banese saiu do patamar de R$ 22,4 milhões no primeiro semestre de 2010 para R$ 43,6 milhões, o que representa um crescimento real de 94,6%. No momento da entrevista, Saumíneo acessou o site Guia de Investimento, que indica bom desempenho do Banese também no mercado de ações, em nível nacional. “Este crescimento no lucro líquido mostra a força, solidez do banco, o orgulho da sergipanidade”, conceitua o presidente do banco.

Diretores comemoram lucratividade e compromisso social

Para Saumíneo, o Banese apresentou o maior crescimento do país, em se tratando de lucratividade deste segmento. “Em alguns bancos privados, o lucro líquido houve declínio, o lucro do Banco do Brasil cresceu 23,4%, o Itaú apresentou crescimento de 11,5%, o Bradesco 20,9%, o Santander, que é um banco internacional, teve crescimento de 17,7% no lucro líquido e o Banese superou todos os bancos que atuam no Brasil com crescimento de 94,6%”, comemorou o presidente da instituição.

No momento em que apresentava os números a jornalistas, Saumíneo Nascimento acessou o site do Guia de Investimento, que mostra, em tempo real, o desempenho das empresas na bolsa de valores. Naquele instante, antes da abertura do mercado de ações, os resultados que apareceram na tela referiam-se aos últimos movimentos da terça-feira, 30, e, surpreendentemente, revelaram queda de -13,8% na Bolsa de Valores de São Paulo (Ibovespa), enquanto as ações do Banese, no mesmo momento, indicavam valorização de 72,5% no mercado. “Significa a credibilidade do Banese e isto acontece graças à confiança do sergipano e a seriedade do governo que colocou uma equipe técnica para administrar a empresa”, justifica o presidente do Banese.

O banco também apresentou crescimento de 19,7% no patrimônio líquido e também no volume de recursos captados, na ordem de 7%, saindo do patamar de R$ 2,130 milhões no semestre de 2010 para a casa dos R$ 2,280 milhões neste mesmo período deste ano. As operações de crédito também cresceram 46,5%, se consolidando, na ótica do presidente, como instituição de fomento da economia sergipana.

São operações relacionadas ao crédito rural, comercial (maior segmento do banco), industrial e imobiliário. “É um crescimento significativo. Enquanto a economia brasileira tem perspectiva de crescimento em torno de 5%, a de Sergipe em torno de 10%, as operações de crédito do Banese já cresceram 46,5%”, enfatizou Saumíneo. “Tivemos crescimento maior que o da Caixa Econômica, que foi de 44%, em operações de crédito”, informou.

Expansão

O Banese possui 61 agências, 418 terminais de auto-atendimento, 330 pontos de atendimento, um corpo funcional que envolve 1.108 funcionários, R$ 1,9 bilhões de depósitos e 450 mil clientes. A perspectiva é de crescimento, segundo Salmíneo. Ele não revela números, mas garante que até o fim do ano o Banco terá desempenho semelhante ao alcançado no primeiro semestre deste ano.

Apesar de se consolidar na atividade comercial, o Banese está prosperando na área do crédito imobiliário. “Hoje, por exemplo, estamos assinando mais um importante contrato imobiliário para ampliar a oferta de imóveis”, diz Salmíneo. Além de atravessar fronteiras com um de seus produtos: o BaneseCard, o cartão de crédito, já aceito em outros Estados da região Nordeste.

Saumíneo anunciou também a publicação, ainda neste ano, do Edital para realização de concurso público, descarta a possibilidade de privatização ou transação comercial com uma outra instituição financeira pública do país, desmistificando boatos de que o Banese seria vendido ao Banco do Brasil ou à Caixa Econômica Federal. “O povo sergipano e os banesianos devem ficar tranquilos”, alertou. “A população deve trazer seus investimentos para o Banese porque aqui todos têm a certeza de que tudo será reinvestido no próprio Estado”, considerou.

O presidente do Banese anunciou também para o dia 26 de novembro próximo a inauguração do Museu da Gente Sergipana que funcionará no antigo Atheneuzinho, prédio que está em fase de restauração, por iniciativa do Banese, que incrementa investimentos na ordem de R$ 10 milhões para recuperar e preservar toda arquitetura original do prédio onde funcionou a Secretaria de Estado da Educação, localizado na esquina da avenida Beira Mar com a Travessa Martinho Garcez.

A solenidade culminará com as comemorações oficiais relativas ao 50º aniversário de fundação do Banco do Estado de Sergipe.

Acompanharam a coletiva os diretores do banco Vera Lúcia de Oliveira (Finanças), Edson Freire Caetano (Crédito e Desenvolvimento), Rodrigo Nascimento (Administrativo e de Tecnologia) e Carlos Alberto Tavares (Crédito Comercial).

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais