Sindicalistas prometem ocupar Fafen para impedir hibernação

0
Sindicalistas, trabalhadores e políticos se reúnem na porta da Fafen (Foto: Ascom Sindipetro)

Líderes do movimento sindical prometem ocupar a Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen) para evitar a hibernação prevista para ser iniciada nesta quinta-feira, 31. Nesta quarta-feira, 30, operários da fábrica, sindicalistas e políticos realizaram uma manifestação na porta da fábrica, no município de Laranjeiras, e alertaram para os riscos que a desativação da fábrica trará para todo o Estado de Sergipe e para a própria produção agrícola.

Edvaldo Leandro: “Se a Fafen fechar, nós vamos ocupar”

Se a Fafen fechar, nós vamos ocupar”, com esta palavra de ordem o sindicalista Edvaldo Leandro, diretor do Sindipetro, encerrou um pronunciamento contundente contra a decisão do Governo Federal e da direção da Petrobras em desativar as unidades da Fafen em Sergipe e na Bahia. Os manifestantes encerraram o ato público na porta da fábrica em Laranjeiras antes das 10h e prometem realizar nova manifestação nesta quinta-feira, 31.

O diretor do Sindipetro não soube informar como será o processo de hibernação. Ele acredita que a rotina dos operários deve ser modificada a partir desta quinta-feira, 31, e que muitos trabalhadores deverão ser dispensados, permanecendo um grupo restrito para monitorar a hibernação. Mas não há certeza, por parte dos trabalhadores, como será este processo de transição.

Bruno alerta para os riscos que a privatizará trará para a soberania do país

O sindicalista Bruno Dantas destacou que a hibernação é um mecanismo que o Governo Federal está utilizando para privatizar definitivamente a Fafen. A privatização, na ótica do sindicalista, trará consequências danosas para o Brasil, com reflexos diretos na economia do país e na mesa dos brasileiros. Segundo o sindicalista, com a privatização, o Brasil ficará dependente da importação de fertilizantes e haverá, como consequência, aumento no custo dos alimentos produzidos no campo.

O Portal Infonet tentou ouvir a Petrobras, mas não obteve êxito. O Portal Infonet permanece à disposição. Informações podem ser enviadas por e-mail jornalismo@infonet.com.br ou por telefone (79) 2106 – 8000.

por Cassia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais