Audiência pública discute assédio sexual no meio acadêmico

0
Evento ocorre hoje às 18h no auditório da Reitoria
(Foto: arquivo Portal Infonet)

Acontece nesta segunda, 27, às 18h, no auditório da Reitoria da Universidade Federal de Sergipe, campus de São Cristóvão, audiência pública para discutir o assédio sexual no meio acadêmico.

O objetivo é promover a discussão referente a ações efetivas para prevenção e enfrentamento. Essa é a última, de três audiências: a primeira ocorreu na Universidade Tiradentes, em 16 de maio, e a segunda em 22 de maio no campus de Lagarto do Instituto Federal de Sergipe (IFS).

A procuradora Regional dos Direitos do Cidadão, Martha Figueiredo, conta que a ação se dá por conta da relevância que o tema encontra hoje na sociedade. “A universidade é um ambiente que não está separado da sociedade e, assim como existe violência de gênero nos espaços públicos e privados, ela também existe nas universidades”.

Martha aponta ainda outro objetivo do evento. “Quebrar o tabu e o mito existente em torno desse assunto. O assédio é uma realidade e é tratado como se não existisse. Por isso é preciso suscitar o debate dentro do meio acadêmico para que tenhamos consciência do que é [assédio sexual], como se caracteriza e quais são as medidas que devemos tomar”, relata.

Realizado pela OAB/SE e pelo Ministério Público Federal (MPF), o evento é aberto ao público.

Assédio no Brasil

86% das mulheres brasileiras já sofreram algum tipo de assédio em público. É o que revela uma pesquisa divulgada em 2016 pela organização internacional de combate à pobreza ActionAid. Das 503 mulheres entrevistadas, metade relataram que já foram seguidas nas ruas.

Além disso, a pesquisa mostra também que 44% tiveram seus corpos tocados, 37% falaram que homens se exibiram para elas e 8% foram vítimas de estupro. Quando analisado as formas de assédio, o assobio possui o maior índice com 77%, olhares insistentes (74%), comentários de cunho sexual (57%) e xingamentos (39%).

Fonte: ascom UFS

Comentários