Festival traz às escolas filmes e debates sobre a capoeira

0
A edição acontece neste sábado, 23, a partir das 8h, no Campus do Instituto Federal de Sergipe (IFS) de Lagarto/SE (Foto: facebook Ginga Associação de Capoeira)

O Festival de Cinema ‘Itapoan Mandou Chamar’, organizado pela Ginga Associação de Capoeira e pelo Grupo Os Molas, vai às escolas. A edição acontece neste sábado, 23, a partir das 8h, no Campus do Instituto Federal de Sergipe (IFS) de Lagarto/SE, com o objetivo de exibir filmes e documentários sobre capoeira e promover, junto a estudantes de diversos níveis de escolarização, um debate sobre a história desse patrimônio cultural e imaterial da humanidade.

A iniciativa, que já passou por Aracaju/SE, Salvador/BA, Fortaleza/CE, Natal/RN e Brasília/DF, propõe criar espaços de discussões acerca de valores e vivências da capoeira, contando com um bate-papo que envolve a participação de diversos capoeiristas renomados, a exemplo do próprio Raimundo Cesar Alves de Almeida, o Mestre Itapoan, que dá nome ao evento. Com mais de 50 anos dedicados à capoeira, Itapoan foi aluno do lendário Mestre Bimba e criador da Associação Brasileira dos Professores de Capoeira (ABPC) e da Federação Baiana de Capoeira.

Além de estudantes do ensino médio do IFS dos campi de Lagarto e Itabaiana/SE, o festival é aberto à comunidade em geral. A expectativa é de que, nos próximos meses, a proposta seja estendida para as escolas públicas de Aracaju/SE. De acordo com um dos idealizadores, o professor doutor do IFS Luiz Carlos Tavares, o Mestre Lucas, a caravana do ‘Itapoan Mandou Chamar’ já esteve na capital sergipana em março do ano passado, no Centro Cultural de Aracaju, mas só agora chega com foco nas escolas.

“Exibimos, em 2018, o filme Capoeira Iluminada. A sala de projeção ficou lotada, com um público de cerca de 180 pessoas. A comunidade capoeirística realmente atendeu ao nosso chamado. Agora a ideia é estimular, nas escolas, o senso crítico, estético e cultural dos alunos sobre a capoeira, agregando valores e vivências dessa arte-luta. A linguagem audiovisual do cinema aqui é utilizada como recurso para possibilitar discussões de forma lúdica e motivadora, mais adequada à faixa etária dos estudantes”, diz o Mestre Lucas.

Para a professora da Universidade Federal da Bahia (UFBA) Isadora Gonzalez, também idealizadora do projeto, a exibição de filmes e a conversa com os mestres de capoeira possibilitam ao público vivenciar uma atividade educativa única. “O bate-papo pode acontecer ao final ou durante a exibição do filme ou documentário, em pausas dialogadas, discutindo-se cenas que evidenciam aspectos históricos, fundamentos, atualidades ou equívocos a respeito da capoeira. A partir das falas dos estudantes sobre as cenas, os mestres podem fazer os devidos esclarecimentos e apresentar aos estudantes novos conhecimentos acerca da capoeira”, explica.

Fonte: assessoria do evento 

Comentários