Projeto Vitrine Literária acontecerá no próximo sábado

0
O evento terá como temática central “Favela ê, Favela! Respeita a literatura que vem dela: Do Cortiço à comunidade”(Foto: Divulgação/Seduc)

No próximo sábado, 7, a partir das 17h40, na Colina do Santo Antônio, acontecerá a 5ª edição do projeto Vitrine Literária realizada pelos alunos do Centro de Excelência Dom Luciano José Cabral Duarte e idealizada pelo professor mestre em Linguística, Fabiano Oliveira. O evento terá como temática central “Favela ê, Favela! Respeita a literatura que vem dela: Do Cortiço à comunidade”, ocasião em que os espectadores poderão conhecer dramas, sucessos e angústias dos personagens e dos autores da literatura naturalista, misturando artes cênicas, cinema, música e jornalismo.

Este ano o projeto contará com a participação dos pais dos alunos na produção, que envolveu mais de 90 alunos do Centro de Excelência Dom Luciano. A participação dos pais é vista como ponto positivo pelo professor, que recebeu vídeos de apoio para o projeto.

Para que o evento fosse concretizado, o professor Fabiano contou com o apoio da Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura e de estagiários do Curso de Teatro da Universidade Federal de Sergipe (UFS), que auxiliaram os alunos na construção de personagens. Wellington Gomes, Fabrícia Lima, Lúcio de Oliveira e Darielle Deyse acompanham as três turmas e assinam a produção teatral.

O coordenador do Vitrine Literária afirma que o imaginário social que construiu o perfil marginalizado das favelas brasileiras teve a ajuda da literatura para ser perpetuado em suas páginas. No entanto, segundo ele, é hora de fazer releituras de personagens e dar novo sentido cognitivo a esses perfis desumanizados. “Linguagens diversas irão dialogar entre si, devolvendo ao público releituras importantes do ponto de vista político-social e literário de personagens como Rita Baiana, João Romão, Jerônimo, Amâncio, Raimundo e Amélia. Seria o ambiente o responsável por comportamentos desregrados na sociedade? Rita baiana e Pombinha seriam personagens nascidas e fadadas aos destinos fracassados? Amâncio e Raimundo são homens fracos diante dos problemas do mundo? Hereditariedade, preconceito e liberdade são abordados por meio das luzes do século XXI, o que se pode esperar de releituras de obras que perpetuaram preconceitos em nossas letras?  Tudo isso será visto no espetáculo que leva a literatura para as ruas”, reitera Fabiano.

Além dos pais, esta edição coloca em praça pública o show do cantor sergipano Junior Brava, que fará uma apresentação especial com ritmos que desceram do morro, dentre eles os sambas surgidos nos anos 90 e 2000. O evento é gratuito e aberto a toda população sergipana.

Fonte: Seduc

Comentários