Ranking: UFS mantém 6ª posição no Nordeste e 38ª do país

0
(Adilson Andrade/Ascom UFS)

A Universidade Federal de Sergipe manteve as posições da edição de 2017 no Ranking Universitário Folha (RUF) deste ano, publicado no início de outubro. Dentre as instituições do Nordeste a UFS manteve-se em 6º lugar e, no âmbito nacional, em 38º. O ranking avaliou 196 instituições públicas e privadas de ensino superior de todo o país.

Em sua sétima edição, o RUF passou por alterações em seus critérios avaliativos. Neste ano, os estudos acadêmicos publicados pelas instituições, em união com o setor produtivo, passaram a compor o indicador de “inovação”. Além disso, o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) possui agora quatro pontos na fórmula do ranking.

Para o pró-reitor de Graduação, Dilton Maynard, o resultado obtido no ranking é positivo. “Este ano, houve uma alteração na metodologia do RUF. Essa mudança trouxe consequências. Algumas instituições caíram de posição, como foi o caso da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que perdeu a primeira colocação para a Universidade de São Paulo (USP), mas historicamente elas se revezam. Nesse cenário, a UFS, mesmo sem alteração, não teve sua posição diminuída”, conta o professor.

Lucindo Quintans, pró-reitor de Pós-Graduação e Pesquisa, salienta que o resultado obtido pela UFS constata-se também pelo caráter empreendedor da instituição. Para ele, a universidade consegue fazer muito com pouco recurso.

“Se você olha para o cenário atual de cortes reais para a ciência e tecnologia, que estão acontecendo nos últimos três anos, a posição da UFS em 38° é muito importante, porque ela ficou na frente de várias instituições que tiveram muito mais aporte de recursos, como a Universidade Federal de Alagoas (Ufal), a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e a Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Isso mostra que a UFS consegue fazer muito com pouco recurso por possuir um caráter empreendedor”, explica.

Ensino, mercado, pesquisa, inovação e internacionalização compreendem os cinco critérios avaliados pelo RUF. A UFS conseguiu superar os índices de 2017 nos indicadores de pesquisa (42º âmbito nacional) e mercado (36º).

A primeira colocação, na região Nordeste, é ocupada pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e a segunda pertence à Universidade Federal do Ceará (UFC). Já a 3ª, 4ª e 5ª colocações ficaram, respectivamente, com as universidades federais da Bahia (Ufba), Rio Grande do Norte (UFRN) e Paraíba (UFPB).

Avaliação dos cursos

Além de avaliar as instituições de ensino, o ranking classifica os 40 cursos de maior demanda do país, definidos pela Folha de São Paulo. Este ano, os cursos de Enfermagem (23º), Computação (24º), Engenharia Civil (26º), Elétrica (26º), Filosofia (28º), Educação Física (28º) e Nutrição (31º) da UFS foram os melhores classificados entre os 37 cursos avaliados da universidade.

Vale ressaltar, ainda, que o curso de Direito aumentou 37 posições, em relação ao RUF 2017, e ocupa a 50ª posição do ranking. Já Educação Física e Nutrição subiram 25 posições. Acesse a página do RUF 2018.

Com informações da UFS

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais