Expedição quer diagnosticar o São Francisco

0

Uma expedição de bote pelo Rio São Francisco pretende analisar o atual nível de degradação do rio e mostrar sua a situação em toda a extensão em Sergipe. À frente da idéia está o sergipano Alberto Luduvice, apaixonado por aventuras e pelo Rio São Franscico. Alberto parte no começo de abril para passar quatro dias navegando e observando as cidades sergipanas que ficam à beira do rio.

Serão navegados aproximadamente 230km de bote, saindo da cidade de Canindé do São Francisco e chegando à foz do rio. O aventureiro navegará das 5h às 12h da manhã e usará a tarde para descansar nas cidades próximas e publicar informações em um blog que manterá durante a expedição. Na bagagem, Alberto leva alimentos, uma barraca, uma bateria, notebook e um modem de companhia celular.

Ao total, a expedição custará R$ 5 mil, e Alberto ainda não conta com apoio para realizar o projeto. A estrutura é formada por dois botes, um de passageiros com motor de 4CV e um só para equipamentos.

O aventureiro Alberto Luduvice
A idéia surgiu há um ano, após as primeiras notícias de que o rio estaria ‘morrendo’. “Eu vou porque tenho paixão pelo Rio. Sempre fui apaixonado pelo São Francisco. E quando vejo as notícias de que o rio está morrendo tenho até vontade de chorar”, diz.

Alberto já se aventurou nas águas do São Francisco em 2005, quando navegou em um caiaque, somente em alguns trechos.  O aventureiro diz estar aberto se algum estudioso do rio ou geógrafo quiser acompanhá-lo, já que no bote cabem duas pessoas.

Por Ben-Hur Correia e Gabriela Amorim

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais